sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Pelo menos 20 membros do Daesh mortos em bombardeamentos aéreos

Pelo menos 20 membros do grupo extremista Daesh foram hoje mortos no decurso de bombardeamentos da aviação russa e do exército sírio contra posições "jihadistas" na região de Palmira, referiu o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

(Arquivo SIC)

(Arquivo SIC)

SIC

O Daesh assumiu em maio de 2015 o controlo desta cidade, situada no deserto oriental e que alberga antigos tesouros e monumentos inscritos no património mundial da humanidade.

Os "jihadistas" cometeram atrocidades no local, designadamente ao decapitarem o antigo chefe das antiguidades, com 82 anos, ao praticarem execuções no teatro antigo e ao destruírem dois templos, incluindo o de Bel, em setembro de 2015, recordou a agência noticiosa France-Presse.

A OSDH, que dispõe de uma vasta série de informadores no terreno, referiu que pelo menos 20 "jihadistas" foram mortos e 50 feridos no decurso de pelo menos 35 ataques aéreos sírios e russos contra bairros da cidade.

Em paralelo, eclodiram combates terrestres entre "jihadistas" e tropas sírias, que parecem preparar-se para uma ampla ofensiva para retomar Palmira.

O Daesh e a Frente al-Nursa, o ramo sírio da Al-Qaida, estão excluídos da trégua anunciada para 27 de fevereiro por russos e norte-americanos, que parece manter-se apesar de violações esporádicas.

Com Lusa

  • Protestos e violência no Rio de Janeiro
    1:08
  • Marcelo diz que a Europa precisa de paixão
    2:36
  • Cogumelos alucinogénios entre as drogas mais seguras

    Mundo

    Os cogumelos alucinogénios são considerados uma das drogas mais seguras, quando consumidos para fins recreativos. A conclusão é avançada no Global Drug Survey, um estudo anual divulgado esta quarta-feira sobre os hábitos de consumo de drogas de quase 120 mil pessoas em 50 países.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.