sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Daesh retira-se da cidade iraquiana de Rutbah

Os "jihadistas" do grupo extremista Daesh retiraram-se hoje de Rutbah, uma cidade na província de Al-Anbar, no oeste do Iraque, informaram hoje o líder político da localidade e um general do exército.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Stringer . / Reuters

"O Estado Islâmico retirou-se de Rutbah, seguindo em direção a Al-Qaim", adiantou à France Presse um general do exército, referindo-se ao reduto 'jihadista' na fronteira com a Síria, no norte da província de Al-Anbar.

Segundo fonte do exército que falou à France Presse sob anonimato, os homens do Daesh começaram a sair daquela localidade na noite de sábado e completaram a sua retirada hoje pela manhã.

O líder político, Imad Ahmed, confirmou que a cidade, a 390 quilómetros de Bagdade, foi libertada: "Os 'jihadistas' [do grupo] Estado Islâmico retiraram-se. Não há nenhum homem armado aqui".

Segundo o responsável, esta retirada é "uma consequência" das derrotas do grupo na província de Al-Anbar, que se materializou com a perda de Ramadi, capital da província, assegurada pelas forças pró-governamentais em dezembro de 2015.

Com Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.