sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Pentágono confirma morte de líder do Daesh, "Omar, o checheno"

O Pentágono confirmou hoje que um dos líderes do Daesh , "Omar, o checheno", foi morto a 4 de março durante um bombardeamento da coligação internacional.

Uma perspetiva aérea sobre o Pentágono. (Arquivo)

Uma perspetiva aérea sobre o Pentágono. (Arquivo)

© Jason Reed / Reuters

"Acreditamos que morreu em consequência dos ferimentos", disse o porta-voz do Pentágono, capitão Jeff Davis.

O Observatório dos Direitos Humanos sírio, uma organização não-governamental com uma rede de fontes na Síria, anunciou no domingo que o líder estava "clinicamente morto" com suporte artificial de vida num hospital da província de Raqa, bastião do grupo no norte da Síria.

É sempre difícil para a coligação confirmar a morte dos líderes do grupo extremista alvos de ataques aéreos por falta de canais fiáveis no terreno.

Conhecido pela barba vermelha, "Omar, o checheno" tinha como verdadeiro nome Tarkhan Tayumurazovich Batirashvili.

Era conhecido pela sua crueldade e foi uma dos principais especialistas militares do grupo extremista.

Os Estados Unidos tinham oferecido cinco milhões de dólares por informações sobre o seu paradeiro.

Lusa

  • Israel está a formar unidade para combater Daesh
    5:14

    Mundo

    Na semana em que o Daesh viu serem roubadas milhares de fichas dos seus seguidores, o correspondente da SIC no Médio Oriente revela mais uma arma contra os terroristas. Israel tem vindo a formar a chamada unidade Karakal, para defender as fronteiras do país de ataques e até de uma eventual invasão do Daesh. Henrique Cymerman acompanhou os treinos militares desta unidade, onde lutam homens e mulheres.

  • Fuzileiros continuam no terreno a ajudar população
    3:03
  • Chef russo aconselha bife tártaro aos jogadores portugueses
    1:29
  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44
  • Desacatos no aeroporto de Faro deixam turistas britânicos em terra
    1:46

    País

    Cinco pessoas, que integravam o grupo de turistas britânicos que nos últimos dias causou desacatos em Albufeira, foram ontem impedidas de regressar a Inglaterra. Agressões no aeroporto e desacatos à entrada do avião levaram os comandantes de dois voos a recusar levar aqueles passageiros.