sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Ex-mulher de líder do Daesh quer viver em liberdade na Europa

Uma ex-mulher do líder do grupo extremista Daesh, Abu Bakr al-Baghdadi, quer viver na Europa "em liberdade", disse ao diário sueco Expressen numa entrevista hoje publicada.

(arquivo)

(arquivo)

"Quero viver num país europeu, não num país árabe", afirmou Saja al-Dulaimi, durante a entrevista, filmada no Líbano.

Al-Dulaimi saiu em liberdade há vários meses de uma prisão libanesa, onde estava detida desde 2014, com os filhos, por suspeita de ligações a organizações extremistas.

"Fui rotulada de terrorista, mas não tenho nada a ver com isso", lamentou.

"Quero viver em liberdade", disse a mulher, de 28 anos, ao mesmo tempo que elogiou a lei islâmica ('sharia') por, na sua opinião, ter dado "liberdade e direitos às mulheres".

A filha de sete anos, Hagar, que nasceu do casamento com o líder do EI, "quer estudar" na Europa. Uma análise ao ADN, realizada pelas autoridades libanesas, confirmou que Hagar é filha de Al-Baghdadi.

Nascida numa família iraquiana abastada, Al-Dulaimi disse ter sido casada com um membro da guarda pessoal do antigo Presidente do Iraque Saddam Hussein. O casal teve gémeos.

Depois de viuvar, voltou a casar em 2008, seguindo os conselhos do pai, com Al-Baghdadi.

Al-Dulaimi descreveu o líder do EI, que também tinha filhos de um casamento anterior, como "um homem de família normal" e um professor universitário, amado pelos filhos.

Na altura, Al-Baghdadi combatia nas fileiras da rede terrorista Al-Qaida no Iraque, da qual o EI nasceu. Em 2010, assumiu a chefia do EI.

Os Estados Unidos anunciaram uma recompensa de 10 milhões de dólares (mais de 8 milhões de euros) pela cabeça de Al-Baghdadi.

Al-Dulaimi afirmou que deixou o líder do EI ao fim de três meses de casamento, já grávida da filha.

"Como é que ele se tornou o emir (califa) da organização terrorista mais perigosa do mundo é um mistério", disse.

"A última conversa que tivemos foi em 2009. Ele perguntou-me se eu queria voltar, mas eu já tinha decidido (...) onde está a minha culpa? Estive casada com ele em 2008. Agora estamos divorciados", acrescentou.

Saja al-Dulaimi voltou a casar com um palestiniano, de quem também tem um filho.

Lusa

  • Operação antiterrorista na Bélgica terminou
    1:45

    Daesh

    A operação policial em Courtrai na Bélgica já terminou. Foi uma operação antiterrorista levada a cabo pelas autoridades belgas e francesas, na região da Flandres. A correspondente da SIC na Bélgica Susana Frexes esteve no local onde decorreram as buscas, a um hotel desativado a cerca de 30 quilómetros de Lille. A ação foi desencadeada após a detenção de um suspeito ligado ao Daesh que estava planear mais um ataque em França.

  • Exército sírio intensifica combates contra o Daesh
    1:17

    Mundo

    O exército sírio intensificou os combates para derrubar o Daesh. Depois de conquistar Palmira, as forças governamentais avançaram esta terça-feira sobre Homs. Apesar do cessar-fogo em vigor, há registo de combates entre grupos jihadistas e o exército.

  • Rúben Lima nega crimes de corrupção no processo Cashball
    6:04

    Desporto

    Rúben Lima, um dos oito jogadores suspeitos de terem sido aliciados por intermediários ao serviço do Sporting para beneficiar o clube de Alvalade, nega todos os crimes investigados pela Polícia Judiciária. Numa entrevista exclusiva à SIC, o jogador do Moreirense garante que não conhece nenhum dos quatro arguidos detidos no âmbito do processo Cashball.

    Exclusivo SIC

  • Partido Podemos com votação inédita em Espanha
    1:32

    Mundo

    Há uma votação inédita em Espanha. O Podemos começou esta terça-feira a decidir a continuidade do líder do partido, depois de Pablo Iglesias e a companheira terem comprado uma casa de 600 mil euros.

  • 14 sacerdotes suspensos por abusos sexuais no Chile

    Mundo

    A diocese da cidade chilena de Rancagua anunciou na terça-feira a suspensão de 14 sacerdotes implicados num novo escândalo de abusos sexuais sobre jovens e menores. Todos eles pertenciam a um grupo de se autointitulou de "La Familia", segundo a investigação jornalística.