sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Jornalista alemão publica "A minha viagem ao coração do terror: 10 dias no Daesh"

Jürgen Todenhöfer foi o primeiro homem do ocidente a ter autorização para "visitar" o Daesh. O jornalista passou dez dias em território controlado pelo Daesh e teve oportunidade de conhecer o dia-a-dia dos jihadistas. A experiência foi documentada e publicada no livro "A minha viagem ao coração do terror: 10 dias no Daesh".

O jornalista a falar com um jihadista egípcio

O jornalista a falar com um jihadista egípcio

JÜRGEN TODENHÖFER

Um dos mais jovens jihadistas que o jornalista encontrou na sua visita

Um dos mais jovens jihadistas que o jornalista encontrou na sua visita

JÜRGEN TODENHÖFER

Garantia de segurança da viagem de Jürgen Todenhöfer

Garantia de segurança da viagem de Jürgen Todenhöfer

JÜRGEN TODENHÖFER

Entrevista do jornalista a um prisioneiro curdo do Daesh

Entrevista do jornalista a um prisioneiro curdo do Daesh

JÜRGEN TODENHÖFER

O Daesh tem as suas próprias matrículas

O Daesh tem as suas próprias matrículas

JÜRGEN TODENHÖFER

Jürgen Todenhöfer no mercado em Mossul, rodeado de civis

Jürgen Todenhöfer no mercado em Mossul, rodeado de civis

JÜRGEN TODENHÖFER

A viagem ocorreu em 2014 e, quando regressou à Alemanha, veio com um aviso: o Daesh era muito mais forte e perigoso do que aquilo que o ocidente podia pensar.

O jornalista alemão, de 74 anos, conseguiu viajar até Mossul, a maior cidade ocupada pelo Daesh, depois de meses de negociações com os líderes do grupo terrorista. Todenhöfer testemunhou o dia-a-dia dos jihadistas, os seus equipamentos e as condições em que viviam.

Em 2014, o jornalista avisou o mundo ocidental que estava a subestimar a ameaça do Daesh. Confirmou que os jihadistas eram mais inteligentes e perigosos do que aquilo que se pensava. Todenhöfer testemunhou o grande fluxo de novos combatentes que chegavam diariamente e concluiu que o Daesh não queria apenas conquistar o mundo, mas sim conseguir a maior limpeza religiosa alguma vez vista.

Garantiram-lhe que todos aqueles que não estavam convertidos ao Islão iriam morrer.

A experiência do jornalista alemão foi documentada e publicada no livro "A minha viagem ao coração do terror: 10 dias no Daesh".

Liebe Freunde, demnächst könnt Ihr unsere Doku über unsere Reise in den IS sehen. Für alle, die mein Buch schon gelesen haben, wird das nochmal sehr spannend. Alle anderen werden schockiert sein. Auch ich kann vieles, was ich dort erlebt habe, noch immer kaum fassen. Euer JT

Posted by Jürgen Todenhöfer on Sunday, 10 May 2015
  • Jovem que morreu numa estância de esqui em Espanha sofreu um aneurisma
    1:26
  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • "Isto é uma mentira e tem carimbo de Estado"
    2:12

    Opinião

    O preço das botijas de gás em Portugal duplicou nos últimos 15 anos. José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite, da SIC, onde explicou este aumento, lembrando que a classe política prometeu que se houvesse mais empresas a operar no mercado, os preços desciam. Contudo, José Gomes Ferreira diz que "isto é uma mentira e tem carimbo de Estado". O Diretor-Adjunto de Informação SIC explicou que como o mercado é livre, os operadores vendem aos preços mais altos que podem, deste modo os preços não variam muito entre uns e outros.

    José Gomes Ferreira