sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Jornalista alemão publica "A minha viagem ao coração do terror: 10 dias no Daesh"

Jürgen Todenhöfer foi o primeiro homem do ocidente a ter autorização para "visitar" o Daesh. O jornalista passou dez dias em território controlado pelo Daesh e teve oportunidade de conhecer o dia-a-dia dos jihadistas. A experiência foi documentada e publicada no livro "A minha viagem ao coração do terror: 10 dias no Daesh".

O jornalista a falar com um jihadista egípcio

O jornalista a falar com um jihadista egípcio

JÜRGEN TODENHÖFER

Um dos mais jovens jihadistas que o jornalista encontrou na sua visita

Um dos mais jovens jihadistas que o jornalista encontrou na sua visita

JÜRGEN TODENHÖFER

Garantia de segurança da viagem de Jürgen Todenhöfer

Garantia de segurança da viagem de Jürgen Todenhöfer

JÜRGEN TODENHÖFER

Entrevista do jornalista a um prisioneiro curdo do Daesh

Entrevista do jornalista a um prisioneiro curdo do Daesh

JÜRGEN TODENHÖFER

O Daesh tem as suas próprias matrículas

O Daesh tem as suas próprias matrículas

JÜRGEN TODENHÖFER

Jürgen Todenhöfer no mercado em Mossul, rodeado de civis

Jürgen Todenhöfer no mercado em Mossul, rodeado de civis

JÜRGEN TODENHÖFER

A viagem ocorreu em 2014 e, quando regressou à Alemanha, veio com um aviso: o Daesh era muito mais forte e perigoso do que aquilo que o ocidente podia pensar.

O jornalista alemão, de 74 anos, conseguiu viajar até Mossul, a maior cidade ocupada pelo Daesh, depois de meses de negociações com os líderes do grupo terrorista. Todenhöfer testemunhou o dia-a-dia dos jihadistas, os seus equipamentos e as condições em que viviam.

Em 2014, o jornalista avisou o mundo ocidental que estava a subestimar a ameaça do Daesh. Confirmou que os jihadistas eram mais inteligentes e perigosos do que aquilo que se pensava. Todenhöfer testemunhou o grande fluxo de novos combatentes que chegavam diariamente e concluiu que o Daesh não queria apenas conquistar o mundo, mas sim conseguir a maior limpeza religiosa alguma vez vista.

Garantiram-lhe que todos aqueles que não estavam convertidos ao Islão iriam morrer.

A experiência do jornalista alemão foi documentada e publicada no livro "A minha viagem ao coração do terror: 10 dias no Daesh".

Liebe Freunde, demnächst könnt Ihr unsere Doku über unsere Reise in den IS sehen. Für alle, die mein Buch schon gelesen haben, wird das nochmal sehr spannend. Alle anderen werden schockiert sein. Auch ich kann vieles, was ich dort erlebt habe, noch immer kaum fassen. Euer JT

Posted by Jürgen Todenhöfer on Sunday, 10 May 2015
  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.