sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Turquia deteve dois suspeitos do Daesh que preparavam atentados suicida

As autoridades turcas prenderam dois suspeitos por estarem a preparar ataques suicidas a mando do grupoDaesh, que reivindicou os dois atentados à bomba ocorridos recentemente em Istambul, noticia hoje a imprensa local.

reuters

Segundo a agência noticiosa Dogan, que cita um comunicado do governador local, os dois suspeitos foram detidos na província de Gaziantep (sul), junto à fronteira com a Síria.

Um dos detidos é Mehmet Mustafa Cevik, descrito como membro do Daesh e que pertence também ao Grupo Dokumacilar, ligado ao grupo.

O Grupo Dokumacilar, que honra o nome do seu fundador, Mustafa Dokumaci, é uma unidade de bombistas suicidas suspeita de estar ligada ao ataque de outubro de 2015 que matou 103 pessoas durante uma manifestação pela paz em Ancara, naquele que foi o mais sangrento atentado terrorista de sempre na Turquia.

A célula do Daesh está também associada ao atentado registado em julho de 2015 na cidade de Suruc, próximo da fronteira com a Síria.

O outro suspeito detido é Ercan Capkin, irmão de Ekran Capkin, um dos bombistas suicidas que morreu no ataque de 19 de março último em Istambul, que causou quatro mortos.

Ambos os suspeitos foram apresentados ao tribunal de Gaziantep, que confirmou a prisão até ao julgamento.

O Ministério do Interior turco tem atualmente detidos 23 suspeitos de ligações ao grupo Estado Islâmico.

A Turquia está em alerta máximo há já vários meses devido à série de ataques terroristas atribuídos tanto ao EI como a militantes curdos

  • As confissões de Sérgio Conceição: do futuro no FC Porto à zanga com Rui Vitória 
    43:14
  • Sabia que pode emprestar dinheiro a empresas e ganhar 7% em juros por ano?
    8:05
  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC