sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Pena máxima para responsável na Bélgica de recrutamento para a Síria

Um dos chefes da rede jihadista na Bélgica, Khalid Zerkani, foi hoje condenado a 15 anos de prisão sob a acusação de ter recrutado e enviado numerosos jovens para a Síria, incluindo os autores dos atentados de Paris.

© Yves Herman / Reuters

A sentença foi decretada pelo tribunal de apelação de Bruxelas, e após este marroquino de 42 anos, ativo no bairro bruxelense de Molenbeek entre 2012 e 2014, ter apelado da condenação em primeira instância a 12 anos de prisão, em julho de 2015.

No entanto, a jurisdição superior aplicou hoje o arguido, que não compareceu na audiência por motivos não especificados, a pena máxima de 15 anos por ter dirigido um grupo terrorista.

A deliberação, anunciada num palácio da justiça sob apertada vigilância, o tribunal sublinhou o "cinismo" daquele que era designado por "Pai Natal" pelos seus jovens discípulos, a quem fornecia o dinheiro necessário para seguirem em direção à Síria.

Zerkani, que negou sempre todas as acusações, adotou uma atitude de "manifesta denegação", prova da sua "ausência total de arrependimento", segundo a instância.

Na abertura do processo desta rede na primavera de 2015, perante um tribunal de Bruxelas, apenas 13 dos 39 suspeitos estiveram presentes, incluindo Zerkani, com os restantes 19 a serem considerados como ainda envolvidos na zona dos conflitos, ou já mortos.

Entre os ausentes figurava designadamente Chakib Akrouh, que integrou os comandos jihadistas de 13 de novembro de 2015 em Paris, e que se fez explodir durante o assalto policial de Saint-Denis, na região parisiense, cinco dias depois, e ainda o belgo-marroquino Abdelhamid Abaaoud, presumível organizador dos atentados de Paris e morto na mesma ação policial.

Zerkano, detido desde 2014, é ainda acusado de ter dirigido outra rede jihadista, e a seu pedido será julgado separadamente, e posteriormente, neste caso.

Lusa

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • A SIC foi dar uma volta de bicicleta

    País

    Há 90 anos, cerca de 40 ciclistas partiam do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a primeira etapa da 1.ª Volta a Portugal de Bicicleta. Hoje, um grupo de investigadores repete o percurso, até Setúbal, dando início a uma viagem que pretende incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte no dia-a-dia. Um jornalista da SIC segue no pelotão e pode acompanhar a viagem em direto no Facebook da SIC Notícias.

    SIC

  • Avião divergiu para as Lajes devido a discussão a bordo

    País

    Um avião da companhia aérea British Airways divergiu hoje para o aeroporto das Lajes, na ilha Terceira, nos Açores, devido a uma discussão a bordo entre um casal de passageiros e a tripulação, informou hoje a Força Aérea Portuguesa.

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e, a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.