sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Sete mortos e 24 feridos em ataque contra fábrica de gás no Iraque

Sete trabalhadores foram mortos e outros 24 ficaram feridos hoje num ataque realizado por oito terroristas suicidas do autoproclamado Daesh contra uma fábrica de gás na cidade iraquiana Taji, a 30 quilómetros a norte de Bagdade.

© Thaier Al-Sudani / Reuters

De acordo com uma fonte da polícia iraquiana, o ataque foi cometido simultaneamente por seis extremistas com cintos armadilhados e outros dois suicidas que dirigiam dois veículos carregados com explosivos.

A fonte explicou que os dois carros-bomba foram detonados na entrada principal das instalações, enquanto os terroristas se infiltraram no complexo, onde incendiaram dois depósitos de gás, após terem detonado os explosivos que carregavam junto ao corpo.

Os oito terroristas suicidas morreram no ataque, segundo a fonte policial, devido à detonação dos explosivos, mas também por disparos das forças de segurança, que impediram os jihadistas de ocuparem a fábrica, adiantou a polícia.

Equipas de bombeiros deslocaram-se para o local para controlar as chamas na fábrica de gás, que se estenderam às casas dos trabalhadores, acrescentou a mesma fonta.

Os ataques com grupos de suicidas são um método comum utilizado pelo Estado Islâmico nas suas ofensivas contra as forças de segurança no Iraque, onde controlam importantes zonas no norte e oeste do país desde junho de 2014.

Com Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.