sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Daesh está a utilizar escudos humanos em Raqa

O Daesh está a utilizar escudos humanos em Raqa, na Síria, disse um ativista, o que poderá dificultar a ofensiva lançada hoje pelas Forças da Síria Democrática para recuperar aquela cidade.

© Stringer . / Reuters

As Forças da Síria Democrática, uma aliança curda-árabe, lançaram hoje uma ofensiva para recuperar a cidade, com o apoio aéreo da coligação internacional, liderada pelos Estados Unidos.

A operação é uma das maiores feitas por terra contra o grupo extremista, desde que autoproclamou um califado na zona em 2014.

"Estes estão a usar os civis como proteção. Vão estar nos mesmos edifícios. Num edifício, por exemplo, há três apartamentos destinados para combatentes do grupo", disse Abdel Aziz al-Hamza, um dos fundadores do grupo Raqa está a ser Abatida em Silêncio.

"Há também escolas em que foram construídas caves onde os combatentes se podem proteger durante os ataques aéreos. Eles estão cercados por civis", acrescentou.

Os cerca de 50.000 civis que vive em Raqa não podem sair da cidade.

"Os civis estão cercados e não podem deixar a cidade", disse Hamza, que fugiu de Raqa em 2014 e tem estado a viver na Alemanha.

O Observatório dos Direitos Humanos sírio disse que houve intensos ataques da coligação hoje em Raqa e que pelo menos 22 combatentes do grupo extremista Estado Islâmico foram mortos.

Segundo os Estados Unidos, vários milhares de combatentes do Estado Islâmico estão a defender Raqa.

Lusa

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.