sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Londres alerta para possíveis represálias do Daesh na Europa

O ministro da Defesa britânico, Michael Fallon, alertou hoje para possíveis represálias do Daesh no Reino Unido e no resto da Europa à medida que o grupo extremista "vai perdendo terreno" no Iraque e na Síria.

(Arquivo)

(Arquivo)

STR

Fallon, que esteve hoje na Câmara dos Comuns para informar os deputados sobre as operações do exército britânico na região, referiu que o Reino Unido participou em 43 bombardeamentos contra o Daesh na Síria desde que o parlamento aprovou a campanha em dezembro passado e em 760 ataques aéreos no Iraque desde setembro de 2014.

"À medida que o Daesh (acrónimo árabe de Estado Islâmico) se sente cada vez mais pressionado no Iraque e na Síria, poderemos ver contragolpes como parte do plano externo do Daesh contra objetivos europeus ou britânicos", disse Fallon.

O ministro afirmou que a contribuição do Reino Unido para a missão militar contra o Daesh é "maior que a de qualquer outra nação, com exceção dos Estados Unidos".

A Força Aérea britânica tem concentrado esforços nos últimos meses no ataque aos campos petrolíferos do leste da Síria, que os 'jihadistas' utilizam para financiar as suas operações. O exército britânico também tem como objetivos as "infraestruturas de comunicações, comando e controlo" do Daesh.

"Os bombardeamentos da coligação destruíram petróleo do Daesh avaliado em 800 milhões de dólares (720 milhões de euros)", disse Fallon, adiantando que cortar "a cabeça da serpente" em Raqqa e Mosul, bastiões do EI na Síria e no Iraque, respetivamente, exigiria um esforço militar muito grande por parte de "tropas locais no terreno".

"O Daesh está a perder terreno, inclusive na Síria, e já foi expulso de Al-Shaddadi, uma importante rota de abastecimento entre Mosul e Raqqa", sustentou Fallon.

Com Lusa

  • Alianças do PS marcam discursos no Congresso do PS
    2:51
  • Souto de Moura feliz com distinção na Bienal de Arquitetura de Veneza
    1:10
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos. Depois de um curso intensivo de português durante três meses, os jovens vão iniciar o ano letivo em vários pontos do país.