sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Forças apoiadas pelos EUA avançam contra o Daesh na Síria e no Iraque

As forças apoiadas pelos Estados Unidos na Síria e no Iraque avançaram hoje na luta contra o grupo extremista Daesh, mas analistas consideraram que a ofensiva poderá ser longa.

(Arquivo)

(Arquivo)

STR

Na Síria, onde os ataques se multiplicam em várias frentes, o combate parece estar concentrado contra o grupo extremista em Raqa, onde prossegue uma ofensiva lançada terça-feira pela aliança das forças curdo-árabes com o apoio da coligação, liderada pelos Estados Unidos.

A Aliança das Forças Democráticas da Síria pretende recuperar a cidade de Raqa, considerada a capital do grupo extremista Daesh.

Segundo a aliança, já foram libertadas cinco aldeias e quatro campos.

A operação para recuperar Raqa foi anunciada um dia depois do início de uma grande ofensiva para recuperar a cidade de Fallujah, no Iraque.

Tropas iraquianas, apoiadas por milícias pró-governamentais, avançam em direção à cidade, onde cerca de 50.000 civis vivem uma situação dramática, sem alimentos e medicamentos.

Os Estados Unidos e os seus aliados pretendem recuperar Raqa, Fallujah e Mossul, segunda maior cidade do Iraque, na luta contra o Daesh, grupo ultrarradical responsável por terríveis atrocidades nas regiões sob seu controlo na Síria e no Iraque e ataques terroristas na Europa.

Para os analistas, os combates podem eternizar-se.

"Os desafios em jogo para enfraquecer e acabar com o EI, com posições fortificadas há bastante tempo, são enormes", segundo um grupo de análise Soufan, com sede em Nova Iorque.

A recuperação de Fallujah representa o maior desafio, dos últimos dois anos, para as forças iraquianas, acrescentou.

Na Síria, a "determinação do Estado Islâmico para defender Raqa significa que a batalha vai ser uma das mais ferozes", salientou.

Com Lusa

  • Younes Abouyaaqoub, o homem mais procurado de Espanha
    1:53
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22