sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Daesh inicia ofensiva a norte da Síria e controla cinco povoações

O Daesh lançou esta sexta-feira uma ofensiva no norte da província síria de Alepo (noroeste), onde retirou às fações rebeldes islâmicas o controlo de cinco localidades perto da fronteira com a Turquia.

Uma jornalista corre com um rebelde para evitar os snipers do Daesh, em Alepo na Síria. (outubro de 2014)

Uma jornalista corre com um rebelde para evitar os snipers do Daesh, em Alepo na Síria. (outubro de 2014)

© Jalal Al-mamo / Reuters

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) disse que os jihadistas conquistaram as povoações de Kafr Kalbin, Niara, Barisha, Yabrin e Kaluabrin, nas proximidades da cidade de Azaz, na fronteira com o território turco.

Durante os combates, pelo menos 30 opositores do Daesh e 11 jihadistas morreram, assim como nove civis - entre os quais quatro menores e quatro mulheres - no fogo de artilharia e nos confrontos em Kalyabrin.

O Daesh conseguiu cortar a via de abastecimento entre as localidades de Azaz e Marea, ambas sob domínio do Exército de Al Fatah (Conquista), uma aliança armada islâmica que luta com a Frente al-Nosra, filial síria da Al-Qaida.

Desde 2014 que o Daesh não conseguia aproximar-se de Azaz, de onde foi expulso por outras fações.

A organização extremista lançou a ofensiva ao mesmo tempo que é alvo de uma operação militar das Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança curdo-árabe apoiada pelos EUA, na província de Al Raqa (noroeste), onde instalou a sua capital.

Segundo o OSDH, pelo menos oito cadáveres de radicais chegaram hoje ao hospital de Raqa, aumentando para 39 o número de baixas nas fileiras do Daesh por causa dos bombardeamentos da aliança internacional e dos confrontos com as FSD desde o início da sua ofensiva há três dias.

Com Lusa

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Portugueses usam Facebook para marcar protestos contra incêndios

    País

    Os incêndios que têm acontecido este ano estão a causar revolta entre a população. Por essa razão, estão marcadas, através da rede social Facebook, várias manifestações para os próximos dias um pouco por todo o país. Os portugueses exigem a melhoria do sistema, para que as tragédias deste ano não se voltem a repetir.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06
  • "Quem está no Governo tem sérias responsabilidades"
    1:07

    Opinião

    Pacheco Pereira aponta falhas do Estado, dos bombeiros e da Proteção Civil como causa dos incêndios que assolaram o país no passado domingo. O comentador da SIC considera que o Governo tem responsabilidade perante o que aconteceu.

  • Presidente das Indústrias de Madeira diz que fogos estão a afetar o setor
    0:39

    País

    A Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário desvaloriza que os industriais do setor possam comprar madeira mais barata, em resultado dos incêndios florestais. Em entrevista na SIC Notícias, o presidente da associação, Vítor Poças, considera que os fogos estão a prejudicar gravemente a indústria.