sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Morto comandante do Daesh em Fallujah

O comandante do grupo extremista Daesh em Fallujah, Iraque, foi morto num ataque aéreo durante a ofensiva que decorre para recuperar aquela cidade iraquiana, disse hoje fonte militar.

© Stringer . / Reuters

"Foram mortos pelo menos 70 combatentes inimigos, entre os quais Maher Al-Bilawi, comandante das forças do Estado Islâmico em Fallujah", disse o coronel norte-americano Steve Warren, precisando que a coligação, liderada pelos Estados Unidos, fez mais de 20 bombardeamentos aéreos nos últimos quatro dias.

As forças iraquianas lançaram na segunda-feira uma grande operação para recuperar a cidade de 50 quilómetros de Bagdade, controlada desde janeiro de 2014 pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Entre 500 e 1.000 combatentes do grupo extremista protegem Fallujah, onde vivem cerca de 50.000 civis, que estão proibidos de sair da cidade, apesar de centenas já terem conseguido fugir com apoio das forças do governo iraquiano.

Com Lusa

  • Turistas chegam a esperar 2 horas no controlo de passaporte do Aeroporto de Lisboa
    2:35

    País

    Chegar ao Aeroporto de Lisboa pode ser uma dor de cabeça para centenas de passageiros. A espera para o controlo de passaporte chegou a ultrapassar as duas horas nos meses de fevereiro e março. Manuela Niza, do Sindicato dos Funcionários do Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, diz que têm sido contratados inspetores que depois são desviados para outros serviços.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • "Dinheiro gasto em contentores dava para construir outro hospital" no Porto
    1:40

    País

    A bastonária dos Enfermeiros pede uma investigação aos contratos de contentores no Hospital de São João, no Porto. Ana Rita Cavaco diz que os "milhares de euros" já gastos na contratação e manutenção dos contentores da Pediatria e outros serviços do centro Hospitalar de São João davam para construir um novo hospital. E levanta ainda a suspeita sobre a empresa contratada.