sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Daesh executa 19 mulheres por recusarem ser escravas sexuais

Os jihadistas do Daesh executaram 19 mulheres em público, depois destas recusarem fazer fazer relações sexuais com os militantes. Segundo as informações dadas por uma testemunha, o Daesh queimou as mulheres até à morte.

(Arquivo)

(Arquivo)

As mulheres foram levadas para Mossul como escravas sexuais dos jihadistas.

Foram enjauladas e expostas em frente de milhares de pessoas.

"Ninguém pôde fazer nada para as salvar daquele castigo brutal", disse uma testemunha à agência síria ARA.

As Nações Unidas estimam que o Daesh tenha sob controlo cerca de 3.500 mulheres e crianças yazidis, como escravas.

O grupo extremista tem realizado atos brutais contra os yazidis, crentes da religião antiga, que consideram ser "seguidores do diabo".

A partir dos oito anos, os rapazes yazidis são forçados a converter ao Islamismo, para depois tornarem-se soldados ou bombistas suicidas.

Skye Wheeler dos Human Richts Watch disse: "Quanto mais tempo o Daesh tiver controlo sobre estas pessoas, mais terríveis se tornam as suas vidas. As mulheres são compradas, vendidas, brutalmente violadas e os seus filhos retirados".

Em agosto de 2014, cerca de 5 mil pessoas foram mortas e 400 mil forçadas a fugir, quando o Daesh avançou e ganhou poder nas áreas yazidis em Sinjar, no Iraque.

  • Merkel visita Portugal no final de maio

    País

    A chanceler alemã, Angela Merkel, efetua uma visita oficial a Portugal nos dias 30 e 31 deste mês a convite do primeiro-ministro, António Costa. Com passagem por Braga, Porto e Lisboa.

  • "É pesado dizer a miúdos que ainda ontem os pais estavam a ensinar o atar ténis que vão ficar em prisão preventiva"
    2:49
  • Pecado da gula ameaça maior anfíbio do mundo

    Mundo

    O maior anfíbio do mundo está em sério risco de extinção. Iguaria muito apreciada no Oriente, a salamandra-gigante-da-China já praticamente desapareceu do seu habitat natural, concluiu uma pesquisa realizada durante quatro anos. Em contraste, milhões destes animais são reproduzidos em cativeiro e têm como destino restaurantes de luxo.

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.