sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Primeiro-ministro iraquiano diz que o Daesh já só controla "pequena parte" de Fallujah

As forças iraquianas recuperaram ao Daesh a maior parte de Fallujah e os jihadistas já só controlam "uma pequena parte" da cidade, afirmou o primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi.

© Alaa Al-Marjani / Reuters

"Nós prometemo-vos a libertação de Fallujah e recuperámo-la (a cidade). As nossas forças de segurança controlam a cidade, à exceção de uma pequena parte, cuja segurança precisa ainda de ser garantida nas próximas horas", disse numa breve declaração à televisão pública iraquiana.

Horas antes, comandantes iraquianos tinham anunciado ter conquistado ao Daesh o principal quartel-general do Governo, no centro de Fallujah, no qual içaram a bandeira nacional.

No avanço para o centro deste importante bastião jihadista, situado a 50 quilómetros a oeste de Bagdad, as forças de elite do contraterrorismo (CTS) e as outras unidades militares enfrentaram uma resistência reduzida dos jihadistas, que se deslocaram para o lado oeste da cidade, explicaram à agência de notícias francesa, AFP.

Desde o lançamento, a 23 de maio, da ofensiva para recuperar Fallujah, com o apoio aéreo fundamental da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, soldados, polícias e milicianos iraquianos conseguiram cercar a cidade e reconquistar os bairros periféricos.

Mas avançaram com prudência em direção ao centro da cidade, devido aos engenhos explosivos colocados pelo Daesh e por temerem pela vida de milhares de civis ali retidos com os jihadistas.

"As unidades da CTS e as forças de intervenção rápida retomaram o quartel-general governamental no centro de Fallujah", disse o general Abdelwahab al-Saadi, comandante da ofensiva.

Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.