sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Detidos mais três suspeitos da morte de polícia e mulher em Paris

A polícia francesa deteve mais três suspeitos de ligações ao duplo assassinato de um polícia e da mulher nos arredores de Paris, a 14 de julho.

© Christian Hartmann / Reuters

O casal foi ontem a enterrar no sul de França, precisamente uma semana depois de ser esfaqueado até à morte, em frente do filho de 3 anos na própria casa na localidade de Magnanville, nos arredores da capital francesa.

O homicida foi abatido pela polícia depois de assumir o crime no facebook, entretanto reivindicado pelo Daesh.

Os três novos suspeitos agora detidos juntam-se a outros dois já indiciados pela justiça francesa de associação criminosa e atividades terroristas, crimes pelos quais já tinham sido condenados em 2013.

Este ataque corresponde aos requisitos do Daesh que incentiva os seguidores a agirem sozinhos para matar policiais, militares e jornalistas, no caso específico de França, não importa com que tipo de arma.

  • Homicídio de policia francês e mulher é "ato terrorista abjeto"

    Daesh

    O ministro do Interior francês classificou hoje o duplo homicídio de um polícia e da sua mulher nos arredores de Paris como um "ato terrorista abjeto". Um homem esfaqueou o polícia até à morte quando este chegava a casa e fez reféns a mulher e o filho, dentro da residência da família, na localidade de Magnanville.

  • Homem que matou polícia e mulher em França era do Daesh

    Daesh

    Um polícia francês e a mulher foram mortos em casa por um vizinho que pertencia ao Daesh, esta segunda-feira, na localidade de Magnanville, nos arredores de Paris. A agência ligada à organização terrorista Estado Islâmico anunciou entretanto que o ataque foi perpetado por um dos seus "combatentes". O homem já tinha sido condenado por ligações terroristas.