sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Aviação russa mata 18 jihadistas do Daesh

Dezoito combatentes do Daesh morreram nas últimas 24 horas, na sequência de ataques aéreos das forças armadas russas, levados a cabo na região de Palmira, centro da Síria.

(Arquivo)

(Arquivo)

De acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), 'jihadistas' europeus estavam entre os combatentes mortos nos ataques perto da cidade de Al-Soukhna, localizada a 70 quilómetros de Palmira, e da região Al-Soukkari, noticiou a agência France Presse (AFP).

Moscovo anunciou, na quinta-feira, que a aviação russa realizou mais de 50 ataques aéreos contra posições do Daesh na última quarta-feira, na região da antiga cidade de Palmira, recuperada pelas tropas sírias e russas no final de março.

"A aviação russa reforçou a intensidade de ataques contra alvos terroristas na zona de Palmira. Desde 12 de julho, levou a cabo mais de 50 ataques contra alvos vivos e materiais", disse o Ministério da Defesa russo.

Estes ataques surgem cerca de uma semana depois da morte de dois pilotos russos, perto da cidade de Palmira, quando o helicóptero sírio em que voavam foi abatido, elevando para 12 o número de russos mortos em combate na Síria.

Moscovo é o principal aliado do regime de Bashar al-Assad desde o final de setembro de 2015, altura em que iniciou uma ação militar contra rebeldes e 'jihadistas'.

Depois do ataque de quinta-feira em Nice, o secretário de Estado dos Estados Unidos (EUA), John Kerry, defendeu hoje uma maior cooperação entre americanos e russos para pôr fim ao "flagelo do terrorismo" na Síria.

Kerry ofereceu a Moscovo a possibilidade criar um centro de comando conjunto na Jordânia para coordenação de ataques aéreos contra extremistas na Síria, liderado pelos EUA e pela Rússia, escreveu a AFP.

Lusa

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01