sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Cerca de 740 homens e rapazes desaparecidos após "reconquista" de Fallujah

Cerca de 740 homens e rapazes estão desaparecidos no Iraque após serem detidos pelas milícias que participaram nos combates com o exército iraquiano para retomar Fallujah aos 'jihadistas' do Daesh, referiu hoje um enviado da ONU.

© Thaier Al-Sudani / Reuters

A missão das Nações Unidas no Iraque recebeu informações credíveis que indicam torturas, execuções e sequestros efetuados pelas milícias e forças de segurança iraquianas no decurso da ofensiva militar para retomar este antigo bastião do EI, referi o enviado especial Jan Kubis perante o Conselho de Segurança.

A "libertação total" desta cidade foi proclamada no final de junho pelas forças iraquianas.

Os responsáveis da ONU determinaram que 95 homens estão em destino desconhecido após terem sido detidos em 25 de maio pelas milícias que combatem integradas nas Unidades paramilitares xiitas da mobilização popular (Hachd al-Chaabi), segundo Jan Kubis.

O enviado especial acrescentou que 643 homens, adolescentes e crianças são ainda considerados desaparecidos após terem sido detidos em 05 de junho por grupos filiados nas mesmas unidades paramilitares quando deixavam a povoação de Saqlawiya, situada cerca de dez quilómetros a noroeste de Fallujah.

As autoridades iraquianas devem promover "ações rápidas para localizar estes homens e rapazes desaparecidos", considerou, e assegurarem que os responsáveis destes atos compareçam perante a justiça.

O primeiro-ministro iraquiano Haider al-Abadi anunciou em junho a criação de uma comissão destinada a investigar presumíveis violações dos direitos fundamentais a ações criminosas que teriam sido cometidas em Fallujah.

Jan Kubis sublinhou ainda que "as lições de Fallujah" devem prevalecer, num momento em que se prepara a ofensiva para retomar Mossul, a segunda cidade do Iraque, ao grupo EI.

A ação humanitária à margem desta ofensiva poderá custar mil milhões de dólares (900 milhões de euros) e representará "a mais importante e sensível crise humanitária no mundo em 2016", preveniu Kubis.

Lusa

  • Pelo menos 250 militantes do Daesh mortos em ataque da coligação em Fallujah
    0:50

    Daesh

    Pelo menos 250 combatentes do Daesh morreram num ataque aéreo levado a cabo pela coligação liderada pelos Estados Unidos, em Fallujah, no Iraque. Os números foram avançados pelas autoridades norte-americanas. Caso se confirme, este foi um dos ataques mais mortíferos de sempre contra o grupo terrorista. O bombardeamento terá acontecido esta quarta-feira.

  • Coreia do Norte lança novo míssil balístico

    Mundo

    O Pentágono detetou esta sexta-feira mais um lançamento de um míssil balístico por parte da Coreia do Norte. O primeiro-ministro japonês já confirmou o lançamento, que terá atingido a zona económica exclusiva, no Mar do Japão.

  • Menino perdido na Praia da Luz foi levado à GNR por turista
    1:11

    País

    Um menino inglês, de sete anos, esteve desaparecido na quinta-feira na Praia da Luz, no Algarve, depois de se ter perdido dos pais. A GNR colocou duas equipas de investigação no local, mas ao fim de uma hora e meia o rapaz apareceu na esquadra de Lagos acompanhado por um turista a quem terá pedido ajuda.

  • Mais viagens mas menos turistas de Portugal
    1:22

    País

    Os residentes em Portugal - sejam portugueses ou estrangeiros - realizaram quatro milhões de viagens turísticas, só no primeiro trimestre do ano. Um aumento de mais de 6% nas viagens dentro do país face ao período homólogo e de mais de 15% nas viagens para fora, de avião. O estudo é do INE, o Instituto Nacional de Estatística, que permite fazer o retrato mais claro de quem viaja e porquê.

  • Algarve sozinho gera metade dos bens transacionáveis em Portugal
    4:14

    SIC 25 Anos

    O Algarve quase não tem indústria e os especialistas consideram que é excessivamente dependente do turismo. Ainda assim, sozinho contribui com metade do que Portugal gera em bens transacionáveis. A região tem problemas graves, como a falta de médicos e um custo de vida muito alto, mas continua a atrair a maior parte dos turistas e muitos estrangeiros decidem mesmo escolher a região para viver.