sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

França vai fornecer artilharia ao exército iraquiano

© Philippe Wojazer / Reuters

A França vai fornecer ao Iraque artilharia para apoiar o combate com o grupo extremista Daesh, anunciou hoje o Presidente François Hollande.

"Esta manhã, no conselho de Defesa, tomei a decisão - no âmbito da coligação anti-Daesh, de pôr à disposição das forças iraquianas meios de artilharia. Estes meios estarão no local no próximo mês", declarou Hollande no palácio do Eliseu, após o fim do quarto conselho de Defesa desde o atentado de Nice de 14 de julho, que causou 84 mortos.

O gabinete do Presidente precisou que "algumas baterias de artilharia vão ser postas à disposição" do exército iraquiano, com "conselheiros para a sua utilização", mas "não haverá efetivos de contacto".

O chefe de Estado também confirmou o destacamento do porta-aviões 'Charles de Gaulle' na região "no final do mês de setembro", o que "vai permitir intensificar os ataques contra os grupos terroristas na Síria e no Iraque com os aparelhos 'Rafale'"

"Não se trata de mudar a natureza da nossa intervenção, apoiamos os nossos aliados no Iraque e na Síria, mas não vamos destacar tropas de infantaria", insistiu Hollande.

"Temos conselhos a dar, formações a fazer, mas não serão os nossos soldados a fazer a guerra no solo na Síria e no Iraque", afirmou.


Lusa

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.

  • Trump acusa o procurador-geral dos EUA de ser fraco
    1:46