sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Interpol une-se à aliança internacional contra Daesh

(Arquivo)

A Interpol juntou-se à aliança internacional que luta contra o "fluxo de combatentes terroristas estrangeiros e o financiamento do Daesh", anunciou hoje a organização internacional de polícia criminal.

"Trocar informação com a Interpol significa estender o perímetro de toda a segurança nacional", disse num comunicado o secretário-geral da Interpol, Jurgen Stock, instituição que vai atuar como catalisador de um esforço conjunto "para contrariar o terrorismo".

Stock, que assistiu à reunião ministerial da luta contra o Daesh celebrada ontem em Washington, lembrou que, graças à colaboração já existente entre a Interpol e o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, conseguiram "pistas de investigação de valor incalculável".

Responder a este trabalho conjunto, segundo o secretário-geral, "melhoraria drasticamente o êxito das investigações" já que os esforços de aplicação da legislação param às portas das zonas de conflito "com demasiada frequência".

Por isso, indicou como passo essencial "construir uma ponte" entre a zona de conflito, onde se encontra o núcleo do Daesh, e outros lugares sujeitos à aplicação das suas legislações, onde a organização radicaliza e golpeia.

Atualmente, a Interpol põe à disposição dos seus membros uma base de dados com informação sobre mais de 7.500 combatentes terroristas estrangeiros fornecidos por cerca de 60 países. Isso sem contar com os milhares de arquivos adicionais que a organização utiliza com fins analíticos para proporcionar pistas à polícia em todo o mundo.

Criada em setembro de 2014, esta coligação internacional conta com 66 sócios e cinco linhas de ação, três delas agora apoiadas pela Interpol: "bloquear o fluxo de combatentes estrangeiros, parar o financiamento ao Daesh e expôr a sua verdadeira natureza".


Lusa

  • Detidos no Brasil prestaram juramento ao Daesh
    1:41

    Daesh

    A duas semanas dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, a polícia brasileira deteve 10 pessoas suspeitas de estarem a planear um ataque terrorista. Cada uma delas estava num estado brasileiro diferente e trocavam mensagens através das redes sociais. A polícia descobriu um plano para um atentado. O grupo tinha prestado juramento à causa do Daesh. Neste momento as autoridades vigiam 100 alegados simpatizantes de terroristas.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05
  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00