sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Daesh sequestrou 2.000 civis ao fugir de Minbej

Combatentes do grupo extremista Daesh sequestraram cerca de 2.000 civis durante a fuga da cidade de Minbej, no norte da Síria, segundo uma organização não-governamental e membros de um grupo curdo-árabe que combate os jihadistas.

Minbej, na província de Alepo, foi tomada na semana passada aos jihadistas pela aliança curdo-árabe Forças Democráticas da Síria, que expulsaram quase todos os combatentes do Daesh.

"Ao retirarem de al-Sireb, último bairro de Minbej em que estavam entrincheirados, os jihadistas raptaram cerca de 2.000 civis", afirmou um elemento do grupo curdo-árabe citado pela agência AFP.

"Usaram os civis como escudos humanos", acrescentou.

Os jihadistas levaram os reféns para a cidade de Jarablus, um bastião do Daesh a cerca de 40 quilómetros a norte de Minbej, perto da fronteira com a Turquia.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos confirmou o rapto dos civis pelos jihadistas: "Os combatentes do Daesh raptaram cerca de 2.000 civis que levaram em 500 viaturas na direção de Jarablus", informou a ONG.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.