sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Dois britânicos esfaqueados em hostel de Queensland, Austrália

A polícia da Austrália está a investigar as eventuais ligações ao Daesh de um cidadão francês que esfaqueou dois britânicos, um dos quais mortalmente, enquanto gritava "Allahu akbar" - "Deus é grande" - num hostel do estado de Queensland, noticiam hoje os media locais.

O francês de 29 anos estava no país com um visto de turista.

Uma das vítimas, uma mulher de 21 anos, morreu no local, a outra está internada em estado grave. Há ainda um terceiro ferido.

As autoridades estão a investigar o caso mas acreditam que o atacante agiu sozinho.

A Austrália elevou o alerta de terrorismo para "alto" em setembro de 2014 e desde então tem vindo a evitar vários ataques planeados pelo Daesh.

As autoridades estimam em aproximadamente 200 o número de australianos que apoia ativamente o Daesh na Austrália, a somar a outros 110 envolvidos como combatentes nas fileiras do grupo extremista no Médio Oriente, dos quais quase meia centena morreu no terreno.

Com Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.