sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Dois britânicos esfaqueados em hostel de Queensland, Austrália

A polícia da Austrália está a investigar as eventuais ligações ao Daesh de um cidadão francês que esfaqueou dois britânicos, um dos quais mortalmente, enquanto gritava "Allahu akbar" - "Deus é grande" - num hostel do estado de Queensland, noticiam hoje os media locais.

O francês de 29 anos estava no país com um visto de turista.

Uma das vítimas, uma mulher de 21 anos, morreu no local, a outra está internada em estado grave. Há ainda um terceiro ferido.

As autoridades estão a investigar o caso mas acreditam que o atacante agiu sozinho.

A Austrália elevou o alerta de terrorismo para "alto" em setembro de 2014 e desde então tem vindo a evitar vários ataques planeados pelo Daesh.

As autoridades estimam em aproximadamente 200 o número de australianos que apoia ativamente o Daesh na Austrália, a somar a outros 110 envolvidos como combatentes nas fileiras do grupo extremista no Médio Oriente, dos quais quase meia centena morreu no terreno.

Com Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.