sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Reino Unido e França pedem que ONU imponha sanções à Síria

O Reino Unido e França pediram esta terça-feira que a ONU imponha sanções à Síria, depois de uma investigação ter atribuído ataques químicos às forças governamentais sírias e ao Daesh.

Os embaixadores de Londres e Paris na ONU descreveram o uso de armas químicas contra civis como crimes de guerra, antes de uma reunião do Conselho de Segurança para discutir as conclusões da investigação.

"A França é favorável a uma resposta rápida e forte do Conselho de Segurança", disse o embaixador francês François Delattre, salientando que é preciso impor sanções aos responsáveis por aqueles atos considerados "crimes de guerra e crimes contra a humanidade".

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Samantha Power, não especificou que medidas devem ser tomadas, mas apelou ao Conselho de Segurança para agir rapidamente para garantir que os responsáveis pela utilização de armas químicas "paguem um preço".

Uma investigação da ONU concluiu que as forças governamentais sírias realizaram pelo menos dois ataques químicos na Síria e que o grupo extremista Estado Islâmico usou gás mostarda como arma.

No relatório elaborado pelos 24 peritos da Missão de Investigação Conjunta (ONU e Organização para a Proibição de Armas Químicas), os investigadores conseguiram identificar os autores dos três ataques químicos perpetrados em 2014 e 2015, mas não conseguiu chegar a conclusões sobre outros seis ataques feitos durante o ano passado.

No total, os investigadores examinaram nove casos de ataques químicos, a maioria atribuído, pelos países ocidentais, às forças governamentais sírias.

O relatório do Mecanismo de Investigação Conjunta determinou que o regime sírio lançou armas químicas em duas aldeias no noroeste da província de Idlib: em Talmenes, a 21 de abril de 2014, e em Sarmin, a 16 de março de 2015.

Em ambos os casos, helicópteros do regime do Presidente sírio, Bashar al-Assad, lançaram "um dispositivo" em casas, que "libertou uma substância tóxica", que no caso de Sarmin condiz com as "características do cloro".

O painel concluiu que o grupo extremista Estado Islâmico era a "única entidade com habilidade, capacidade e motivo para utilizar mostarda de enxofre" num ataque contra a cidade de Marea, no norte da província de Alepo, a 21 de agosto de 2015.

O regime do Presidente Bashar al-Assad tem negado a utilização de armas químicas na Síria, mas o relatório refere que nos três casos há "informação suficiente para chegar a conclusões sobre os atores envolvidos nos ataques".

Com base nas conclusões do documento, o Conselho de Segurança da ONU pode decidir impor sanções à Síria ou pedir ao Tribunal Penal Internacional para tratar do assunto como crimes de guerras.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.