sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

EUA admitem mortos civis em raides contra Daesh na Síria

O Pentágono disse na terça-feira que lançou vários raides aéreos contra as forças do grupo radical Estado Islâmico na Síria nos últimos dias e admitiu que alguns "poderão ter resultado na morte de civis".

Os raides tiveram lugar nos dias 07, 10 e 12 de setembro, de acordo com um comunicado do comando militar norte-americano no Médio Oriente (CENTCOM).

Não foram dadas informações sobre o número de mortos ou feridos.

A 10 setembro, "perto de Ar Raqqah, na Síria, um ataque contra um alvo do Estado Islâmico pode ter resultado na morte de civis perto do local" onde ocorreu o bombardeamento, informou o CENTCOM.

A 07 de setembro, durante um bombardeamento perto de Dayz Az Zawr, na Síria, contra um alvo do Estado Islâmico, "o que parece ser um veículo não militar entrou na área visada depois de o ataque ter sido lançado pelo aparelho em voo", disse o CENTCOM.

Um incidente que parece ter-se repetido a 12 de setembro, desta vez perto da cidade de Al-Chaddadeh, na província de Hassake (nordeste), acrescentou, sem mais detalhes.

E a 10 de setembro, um ataque contra o Estado Islâmico nos arredores de Raqa, reduto do grupo 'jihadista' na Síria, "pode ter resultado na morte de civis perto do local", informou.

Os Estados Unidos lideram uma coligação internacional contra o Estado Islâmico há dois anos na Síria e no Iraque.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15