sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Documentos descobertos na Líbia revelam dotes do Daesh a noivas

Sirte, Líbia

© Ismail Zetouni / Reuters

As forças pró-governamentais que combatem o Daesh na Líbia descobriram documentos que revelam que o grupo extremista oferece dotes fora do comum às suas noivas, incluindo metralhadoras e cintos de explosivos.

As forças aliadas do Governo de Unidade Nacional da Líbia descobriram os arquivos à medida que foram reconquistando o controlo de vários locais, incluindo de vários edifícios, na zona costeira de Sirte.

Os documentos pertenciam ao Departamento Judicial e de Queixas do grupo extremista e foram publicados na página do Facebook das forças pró-governamentais e incluem contratos de casamento e decisões de divórcio, mas não fazem referência a nomes reais e a informações pessoais.

Por exemplo, a 31 de novembro de 2015, Abu Mansour, um tunisino nascido em 1977, casou com uma nigeriana de nome Miriam, na presença de testemunhas sudanesas e malianas.

Ao contrário das normas islâmicas, Abu Mansour não pagou um dote, mas prometeu pagar uma indemnização, que era um cinto de explosivos, caso viesse a morrer ou caso o casamento acabasse.

A Fátima, da Nigéria, foi prometida uma espingarda de assalto Kalashnikov em caso de divórcio ou se o seu marido, Mali Abu Said, morresse.

O Daesh assumiu o controlo de Sirte em junho de 2015 e impôs um reino de terror, que incluía execuções em praça pública.

Os extremistas patrulhavam a cidade de Sirte para garantir que os homens cumpriam com os horários das rezas e que as mulheres não se aventuravam sozinhas nas ruas.

Com Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.