sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Marcelo diz que vídeo do Daesh não representa "nada de novo" para a segurança

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje que o uso por parte do Daesh da sua imagem num vídeo de propaganda não representa "nada de novo" em matéria de segurança.

"[O vídeo] Já apareceu há um mês e tal, não há problema nenhum. Não é nada de novo que não se soubesse, e portanto a segurança dos portugueses continua igualmente garantida", vincou o chefe de Estado

A fotografia do Presidente da República a condecorar o rei de Marrocos foi utilizada pelo Daesh conta hoje o Diário de Notícias, que se refere a um vídeo referido pelo comentador político Nuno Rogeiro num seminário sobre comunicação e terrorismo.

"Se digo que não há nada de novo em matéria de segurança, não há nenhuma medida a tomar", disse Marcelo Rebelo de Sousa sobre o tema.

O Presidente da República falava aos jornalistas à margem de uma cimeira sobre economia digital que decorre em Lisboa.

Lusa

  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • MP investiga ministro Siza Vieira, António Costa rejeita incompatibilidades
    2:12

    País

    O Ministério Público decidiu investigar o ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, por alegadas incompatibilidades. O governante criou uma empresa imobiliária um dia antes de tomar posse e manteve-se como gerente durante dois meses. A lei prevê a demissão, mas o primeiro-ministro já disse que se tratou apenas de um erro e o próprio ministro alega desconhecimento da lei.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.