sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Estima-se que 100.000 pessoas fujam da ofensiva contra Mossul

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) alertou hoje que estima que até 100.000 pessoas poderão fugir da ofensiva contra a cidade iraquiana de Mossul.

O governo iraquiano anunciou na noite de domingo o lançamento da prevista operação militar para libertar Mossul do grupo extremista Estado Islâmico, prometendo restabelecer a estabilidade na segunda cidade mais importante do Iraque, nas mãos dos jihadistas há mais de dois anos.

Perante a expectativa de que milhares de pessoas fugirão da ofensiva, o ACNUR prepara-se há meses para acolher os deslocados em 11 campos, alguns dos quais estão prontos, outros estão quase e outros ainda se encontram na fase de planificação, dado a ONU não dispor de terreno para os construir.

A ofensiva lançada hoje faz temer um desastre humanitário e o secretário-geral adjunto da ONU para os Assuntos Humanitários, Stephen O'Brien, declarou-se "extremamente preocupado" com os cerca de 1,5 milhões de pessoas que ainda vivem em Mossul.

"As famílias estão expostas ao risco extremo de serem apanhadas em fogo cruzado ou como alvo de atiradores furtivos", alertou.

Temendo pelo destino de 500.000 crianças, a organização não-governamental Save the Children exortou os beligerantes a "abrirem corredores seguros" para que os civis possam fugir e não fiquem presos "sob as bombas, numa cidade cheia de minas e explosivos, com falta de alimentos e cuidados médicos".

Lusa

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".