sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Estima-se que 100.000 pessoas fujam da ofensiva contra Mossul

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) alertou hoje que estima que até 100.000 pessoas poderão fugir da ofensiva contra a cidade iraquiana de Mossul.

O governo iraquiano anunciou na noite de domingo o lançamento da prevista operação militar para libertar Mossul do grupo extremista Estado Islâmico, prometendo restabelecer a estabilidade na segunda cidade mais importante do Iraque, nas mãos dos jihadistas há mais de dois anos.

Perante a expectativa de que milhares de pessoas fugirão da ofensiva, o ACNUR prepara-se há meses para acolher os deslocados em 11 campos, alguns dos quais estão prontos, outros estão quase e outros ainda se encontram na fase de planificação, dado a ONU não dispor de terreno para os construir.

A ofensiva lançada hoje faz temer um desastre humanitário e o secretário-geral adjunto da ONU para os Assuntos Humanitários, Stephen O'Brien, declarou-se "extremamente preocupado" com os cerca de 1,5 milhões de pessoas que ainda vivem em Mossul.

"As famílias estão expostas ao risco extremo de serem apanhadas em fogo cruzado ou como alvo de atiradores furtivos", alertou.

Temendo pelo destino de 500.000 crianças, a organização não-governamental Save the Children exortou os beligerantes a "abrirem corredores seguros" para que os civis possam fugir e não fiquem presos "sob as bombas, numa cidade cheia de minas e explosivos, com falta de alimentos e cuidados médicos".

Lusa

  • Escritor e filólogo Frederico Lourenço distinguido com o Prémio Pessoa 2016

    Cultura

    O escritor, tradutor, professor universitário Frederico Lourenço foi distinguido com o Prémio Pessoa 2016. O anúncio foi feito hoje pelo presidente do júri, Francisco Pinto Balsemão, no Palácio de Seteais, em Sintra, sublinhando que a atividade de Frederico Lourenço tem como "traço singular" ter oferecido "à língua portuguesa as grandes obras de literatura clássica".

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional. O ministro garante que o programa vai ser executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação. Vieira da Silva assegura também que o montante disponível para o programa não foi desperdiçado e vai poder ser usado.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Explosão no Cairo faz seis mortos

    Mundo

    Seis pessoas morreram hoje numa explosão junto a um posto de controlo da polícia no Cairo, indicaram os meios de comunicação social e responsáveis egípcios.