sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Daesh esteve mais de 24 horas sem publicar propaganda na Internet

Thaier Al-Sudani

As publicações do grupo jihadista Daesh nas suas páginas de propaganda na Internet foram interrompidas durante mais de 24 horas entre quarta-feira e hoje, um silêncio "sem precedentes" segundo um perito.

A organização jihadista, que utiliza sobretudo o portal encriptado Telegram para difundir informações diárias sobre as suas operações militares e reivindicar ataques, não publicou qualquer mensagem entre as 9:00 de quarta-feira e as 10:01 de hoje.

"A redução na produção de propaganda do Daesh foi notada nas últimas semanas", afirmou Charlie Winter, investigador no Centro internacional de estudos sobre a radicalização e a violência política. "Mas nunca registou um silêncio completo em 24 horas", disse em declarações à agência noticiosa France-Presse (AFP).

Os serviços Telegram do Daesh publicam geralmente mais de uma dezena de mensagens por dia, desde registos áudio em diversas línguas sobre os "sucessos" militares, até fotos da vida quotidiana de civis que vivem no "califado" autoproclamado pelos jihadistas. No entanto, na terça-feira, o grupo apenas esteve ativo em linha durante 30 minutos.

A coligação internacional anti-jihadista liderada pelos Estados Unidos tem privilegiado como alvos os membros do Daesh ativos na propaganda do grupo e que, segundo Winter, poderá explicar a redução da sua atividade mediática.

"A infraestrutura dos media do Daesh sofreu um sério golpe nos últimos meses e, por isso, as coisas estão em vias de mudar", disse.

O Daesh poderá estar em vias de relocalizar geograficamente as suas infraestruturas ou os seus membros, sublinha ainda Winter. Mas pode também estar a tentar organizar uma nova estratégia mediática, já que o grupo está em transformação e privado de base territorial, pode tornar-se numa organização rebelde clandestina.

Com Lusa e AFP

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38