sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Espanha vai a votos para escolher um novo Goveno

Mais de 36,5 milhões de eleitores vão hoje às urnas para escolher um novo Governo em Espanha, umas eleições das quais sairá a necessidade de acordos pós-eleitorais para formação do executivo, ou seja, o fim do bipartidismo.

© Andrea Comas / Reuters

Na votação, que decorre entre as 9:00 e as 20:00 locais (menos uma hora em Lisboa), os espanhóis vão eleger os 350 deputados do novo parlamento (Congresso dos Deputados) em 52 circunscrições. Serão depois estes a escolher o presidente do Governo, que até ao momento em Espanha sempre saiu da força mais votada.

Numa primeira votação no parlamento para presidente do Governo é necessária uma maioria absoluta, mas na seguinte basta uma maioria simples.

No entanto, ao contrário de eleições gerais anteriores, a força mais votada (todas as sondagens indicam que deverá ser o PP de Mariano Rajoy, atual líder do executivo) não deverá conseguir nem uma maioria absoluta, nem uma maioria suficiente para fazer um acordo com pequenos partidos regionais ou nacionalistas.

Pelo contrário, precisará de fazer um acordo com um ou mais dos outros três partidos mais fortes: o PSOE de Pedro Sánchez, e as novas formações, o Ciudadanos de Albert Rivera e o Podemos de Pablo Iglesias.

Ao não conseguir uma maioria suficiente, o vencedor também poderá ficar exposto a um acordo dos outros três ou mais partidos, colocando no Palácio da Moncloa (sede do Governo) o líder de uma força que não tenha sido a mais votada.

A esse cenário - que os dirigentes políticos em Espanha apelidaram de "solução à portuguesa" - há que juntar um outro: que um ou outro partido condicione o seu apoio ao afastamento dos atuais líderes dos partidos tradicionais, Rajoy ou Sánchez.

Independentemente dos cenários admitidos pelos vários candidatos em campanha, os espanhóis estão convencidos de que as negociações entre os partidos poderão ser longas e duras e até mesmo durar dois meses.

A campanha para as "gerais" espanholas ficou marcada por debates agressivos na televisão (debates "a quatro" sem Mariano Rajoy e um cara-a-cara entre Rajoy e Sánchez que culminou em insultos) e mesmo uma agressão a murro ao presidente do Governo, numa arruada em Pontevedra (Galiza).

As eleições de hoje são também as primeiras que se realizam com Espanha num grau de alerta 4 (o penúltimo antes do mais alto, o 5) de ameaça terrorista. Assim, 91.700 agentes da autoridade estão mobilizados para o dia eleitoral (28.803 polícias, 44.221 militares da Guardia Civil, agentes das polícias autonómicas e 13.000 polícias municipais e efetivos da Proteção Civil).

Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • "Reforma da Proteção Civil esgotou prazo de validade"
    2:34

    Tragédia em Pedrógão Grande

    António Costa reconheceu esta quinta-feira que a reforma da Proteção Civil que liderou em 2006 está esgotada, e não pode dar resultados sem uma reforma da floresta. Na mesma altura, o ministro da Agricultura admitiu que os problemas já estavam identificados há uma década, sem explicar por que razão não foram atacados pelo Governo socialista da altura.

  • "De um primeiro-ministro esperam-se respostas, não perguntas"
    0:35

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assunção Cristas acusa o ministro da Agricultura de ter deitado ao lixo a legislação do anterior Governo que poderia ser útil no combate aos incêndios. O CDS exige uma responsabilização política pela tragédia de Pedrógão Grande, diz que há muito por esclarecer e por esse motivo entregou esta quinta-feira ao primeiro-ministro um conjunto de 25 perguntas.

  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

    Última Hora

  • Revestimento da Torre de Grenfell era tóxico e inflamável
    1:52
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.