sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Espanha vai a votos para escolher um novo Goveno

Mais de 36,5 milhões de eleitores vão hoje às urnas para escolher um novo Governo em Espanha, umas eleições das quais sairá a necessidade de acordos pós-eleitorais para formação do executivo, ou seja, o fim do bipartidismo.

© Andrea Comas / Reuters

Na votação, que decorre entre as 9:00 e as 20:00 locais (menos uma hora em Lisboa), os espanhóis vão eleger os 350 deputados do novo parlamento (Congresso dos Deputados) em 52 circunscrições. Serão depois estes a escolher o presidente do Governo, que até ao momento em Espanha sempre saiu da força mais votada.

Numa primeira votação no parlamento para presidente do Governo é necessária uma maioria absoluta, mas na seguinte basta uma maioria simples.

No entanto, ao contrário de eleições gerais anteriores, a força mais votada (todas as sondagens indicam que deverá ser o PP de Mariano Rajoy, atual líder do executivo) não deverá conseguir nem uma maioria absoluta, nem uma maioria suficiente para fazer um acordo com pequenos partidos regionais ou nacionalistas.

Pelo contrário, precisará de fazer um acordo com um ou mais dos outros três partidos mais fortes: o PSOE de Pedro Sánchez, e as novas formações, o Ciudadanos de Albert Rivera e o Podemos de Pablo Iglesias.

Ao não conseguir uma maioria suficiente, o vencedor também poderá ficar exposto a um acordo dos outros três ou mais partidos, colocando no Palácio da Moncloa (sede do Governo) o líder de uma força que não tenha sido a mais votada.

A esse cenário - que os dirigentes políticos em Espanha apelidaram de "solução à portuguesa" - há que juntar um outro: que um ou outro partido condicione o seu apoio ao afastamento dos atuais líderes dos partidos tradicionais, Rajoy ou Sánchez.

Independentemente dos cenários admitidos pelos vários candidatos em campanha, os espanhóis estão convencidos de que as negociações entre os partidos poderão ser longas e duras e até mesmo durar dois meses.

A campanha para as "gerais" espanholas ficou marcada por debates agressivos na televisão (debates "a quatro" sem Mariano Rajoy e um cara-a-cara entre Rajoy e Sánchez que culminou em insultos) e mesmo uma agressão a murro ao presidente do Governo, numa arruada em Pontevedra (Galiza).

As eleições de hoje são também as primeiras que se realizam com Espanha num grau de alerta 4 (o penúltimo antes do mais alto, o 5) de ameaça terrorista. Assim, 91.700 agentes da autoridade estão mobilizados para o dia eleitoral (28.803 polícias, 44.221 militares da Guardia Civil, agentes das polícias autonómicas e 13.000 polícias municipais e efetivos da Proteção Civil).

Lusa

  • Primeiro-ministro agradece sacrifícios dos portugueses
    0:46

    Economia

    O primeiro-ministro diz que os números do INE em relação ao défice de 2016 são prova de que havia uma alternativa e deixou uma palavra de agradecimento aos portugueses. As declarações de António Costa foram feiras aos jornalistas em Roma, onde se encontra para assinalar no sábado os 60 anos da União Europeia.

  • Jerónimo diz que UE vai continuar a causar constrangimentos a Portugal
    0:35

    Economia

    Esta sexta-feira na inauguração de uma exposição em Almada que denuncia a precariedade dos postos de trabalho, Jerónimo de Sousa falou sobre o défice de 2016. Para o secretário-geral do PCP, apesar do Governo ter ido além do exigido por Bruxelas, a União Europeia vai continuar a impedir Portugal de crescer.

  • Enfermeiros desconvocam greve

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) desconvocou esta sexta-feira a greve geral nacional marcada para quinta e sexta-feira da próxima semana, anunciou o presidente da estrutura, justificando com os compromissos assumidos pelo Ministério da Saúde.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33

    País

    O Comissário Europeu da Saúde defende uma proibição total do consumo de tabaco no espaço público. Esta e outras medidas foram defendidas, ontem, na Conferência Tabaco e Saúde da Liga Portuguesa Contra o Cancro. 

  • Visitar o Titanic vai custar 97 mil euros por pessoa

    Mundo

    Uma viagem a bordo do Titanic em 1912 era considerada uma viagem de luxo. Mais de 100 anos depois, continua a ser um luxo visitar o Titanic. Em 2018, vai ser possível conhecer os restos daquele que em tempos foi o maior navio do mundo. Contudo, nem todos vão poder fazê-lo, pois a viagem irá custar cerca de 97 mil euros por pessoa.