sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Ciudadanos propõe acordo a três com PP e PSOE para viabilizar novo governo

O líder do Ciudadanos, Albert Rivera, declarou hoje que vai propor um "acordo a três" com o PP e o PSOE para viabilizar um governo e uma legislatura que "garanta a estabilidade e unidade de Espanha" na sequência das eleições gerais de domingo.

Líder dos Cuidadanos em discurso após o anúncio dos resultados das eleições

Líder dos Cuidadanos em discurso após o anúncio dos resultados das eleições

© Susana Vera / Reuters

O Ciudadanos, que conseguiu 40 deputados, propõe assim um "pacto por Espanha" - para realizar "reformas democráticas e urgentes" - com o vencedor das eleições, o PP (123 deputados) e com a segunda força mais votada, o PSOE (com 90 deputados).

"Proponho não reuniões bilaterais, mas uma mesa de negociação [a três] para dar estabilidade a Espanha", disse Albert Rivera em conferência de imprensa, especificando que não inclui o Podemos neste momento.

Por outro lado, o líder do Ciudadanos (centro-direita) deixou claro que não pretende um "governo a três", e sim um "acordo de mínimos" que permita arrancar a legislatura e evitar novas eleições dentro de três meses.

"Não estou a propor um governo tripartido, nem estou a falar de estar no governo, mas [um acordo entre Ciudadanos, PSOE e PP] que permita o início da legislatura, com abstenção do Ciudadanos e do PSOE", disse Albert Rivera.

Rivera acrescentou que - como se trata de um pacto de regime "pela estabilidade e unidade de Espanha" - para começar, "não falará com quem quer dividir a Espanha", numa referência à proposta do Podemos de viabilizar um referendo sobre a independência na Catalunha.

O líder do Ciudadanos - partido que as sondagens pré-eleitorais davam como fundamental em futuros acordos e que ficou aquém desse resultado - recordou ainda que as forças independentistas na Catalunha chegaram a um pré-acordo para a investidura de Artur Mas como presidente regional catalão e para reiniciar o processo soberanista na região.

Por isso mesmo, defendeu a necessidade de os partidos constitucionalistas fazerem o mesmo e atuem com "sentido de Estado" numa "legislatura excecional".

"É preciso enviar uma mensagem aos independentistas catalães: governe quem governe, a unidade dos espanhóis não é negociável e a Constituição é o único quadro de referência possível".

O Ciudadanos, partido que nasceu na Catalunha, opõe-se à independência da região face ao resto de Espanha. A força política de Rivera assumiu-se como a principal força da oposição no parlamento regional da Catalunha, mas nas eleições gerais do passado domingo a força mais votada foi a plataforma apoiada pelo Podemos (En Comú Podem).

O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, reúne-se hoje de manhã com o secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez, na sede do executivo, para analisar o cenário político que resulta das eleições gerais espanholas de domingo.

Lusa

  • Impasse político em Espanha
    1:50

    Eleições em Espanha

    O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, reúne-se hoje com o secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez. Os socialistas adiaram a análise dos resultados eleitorais e a resposta ao pacto constitucional oferecido pelo PP. A complicar a atual crise, os independentistas da Catalunha finalizaram a proposta para formar o Governo que pode declarar a independência.

  • As mulheres na clandestinidade durante o Estado Novo
    7:32

    País

    Não se sabe quantas mulheres portuguesas viveram na clandestinidade durante o Estado Novo, mas estiveram sempre lado a lado com os homens que trabalhavam para o Partido Comunista na luta contra a ditadura. Aceitavam serem separadas dos filhos e mudarem de identidade várias vezes ao longo dos anos. A história de algumas destas mulheres estão agora reunidas num livro que acaba de ser lançado.