sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Ciudadanos propõe acordo a três com PP e PSOE para viabilizar novo governo

O líder do Ciudadanos, Albert Rivera, declarou hoje que vai propor um "acordo a três" com o PP e o PSOE para viabilizar um governo e uma legislatura que "garanta a estabilidade e unidade de Espanha" na sequência das eleições gerais de domingo.

Líder dos Cuidadanos em discurso após o anúncio dos resultados das eleições

Líder dos Cuidadanos em discurso após o anúncio dos resultados das eleições

© Susana Vera / Reuters

O Ciudadanos, que conseguiu 40 deputados, propõe assim um "pacto por Espanha" - para realizar "reformas democráticas e urgentes" - com o vencedor das eleições, o PP (123 deputados) e com a segunda força mais votada, o PSOE (com 90 deputados).

"Proponho não reuniões bilaterais, mas uma mesa de negociação [a três] para dar estabilidade a Espanha", disse Albert Rivera em conferência de imprensa, especificando que não inclui o Podemos neste momento.

Por outro lado, o líder do Ciudadanos (centro-direita) deixou claro que não pretende um "governo a três", e sim um "acordo de mínimos" que permita arrancar a legislatura e evitar novas eleições dentro de três meses.

"Não estou a propor um governo tripartido, nem estou a falar de estar no governo, mas [um acordo entre Ciudadanos, PSOE e PP] que permita o início da legislatura, com abstenção do Ciudadanos e do PSOE", disse Albert Rivera.

Rivera acrescentou que - como se trata de um pacto de regime "pela estabilidade e unidade de Espanha" - para começar, "não falará com quem quer dividir a Espanha", numa referência à proposta do Podemos de viabilizar um referendo sobre a independência na Catalunha.

O líder do Ciudadanos - partido que as sondagens pré-eleitorais davam como fundamental em futuros acordos e que ficou aquém desse resultado - recordou ainda que as forças independentistas na Catalunha chegaram a um pré-acordo para a investidura de Artur Mas como presidente regional catalão e para reiniciar o processo soberanista na região.

Por isso mesmo, defendeu a necessidade de os partidos constitucionalistas fazerem o mesmo e atuem com "sentido de Estado" numa "legislatura excecional".

"É preciso enviar uma mensagem aos independentistas catalães: governe quem governe, a unidade dos espanhóis não é negociável e a Constituição é o único quadro de referência possível".

O Ciudadanos, partido que nasceu na Catalunha, opõe-se à independência da região face ao resto de Espanha. A força política de Rivera assumiu-se como a principal força da oposição no parlamento regional da Catalunha, mas nas eleições gerais do passado domingo a força mais votada foi a plataforma apoiada pelo Podemos (En Comú Podem).

O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, reúne-se hoje de manhã com o secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez, na sede do executivo, para analisar o cenário político que resulta das eleições gerais espanholas de domingo.

Lusa

  • Impasse político em Espanha
    1:50

    Eleições em Espanha

    O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, reúne-se hoje com o secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez. Os socialistas adiaram a análise dos resultados eleitorais e a resposta ao pacto constitucional oferecido pelo PP. A complicar a atual crise, os independentistas da Catalunha finalizaram a proposta para formar o Governo que pode declarar a independência.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.