sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

PSOE e Podemos retomam reuniões para negociar formação de governo

Os secretários-gerais do PSOE, Pedro Sánchez, e do Podemos, Pablo Iglesias, acertaram hoje, por telefone, uma reunião no dia 30 de março, para retomar o diálogo e as negociações com vista à formação de um governo em Espanha.

O socialista Pedro Sánchez falhou a eleição como presidente do governo no início do mês.

O socialista Pedro Sánchez falhou a eleição como presidente do governo no início do mês.

© Andrea Comas / Reuters

O socialista Pedro Sánchez falhou a eleição como presidente do Governo no início do mês, ao perder as duas votações na sessão de investidura no Congresso dos Deputados. O PSOE, que tem 90 deputados, apenas conseguiu o "sim" dos 40 deputados do Ciudadanos (centro-direita), somando 130 assentos (poucos mais do que os 123 do PP de Mariano Rajoy e abaixo dos 176 da maioria absoluta).

Inicialmente, o PSOE esteve envolvido numa mesa de negociação a quatro com os partidos de esquerda - Podemos (esquerda radical, 65 deputados), Izquierda Unida (comunistas, 2 deputados) e Compromís (4 deputados de uma das confluências do Podemos).

No entanto, os partidos de esquerda abandonaram as negociações quando os socialistas assinaram um acordo de investidura com o Ciudadanos.

Desde então, Pedro Sánchez e Pablo Iglesias têm trocado acusações e duras críticas, acusando-se mutuamente de estarem a bloquear a formação de um governo "de mudança".

Sánchez considera que o Podemos deve juntar-se ao PSOE e ao Ciudadanos, enquanto Iglesias diz que o PSOE tem de escolher entre um governo de esquerda e um outro apoiado pela direita.

Hoje, numa conversa telefónica de 30 minutos, os dois líderes partidários acertaram "a plena vontade" de retomar negociações e uma nova etapa no diálogo. Ambos concordaram que é "urgente" formar um governo que ponha fim à permanência de Mariano Rajoy (PP) na Moncloa, residência oficial do chefe do Governo.

Resta saber se o PSOE se vai apresentar, como queria inicialmente, juntamente com o Ciudadanos (com quem já tem um acordo) ou se o Podemos aceita que isso aconteça.

Entre as várias opções políticas que dividem o Podemos do Ciudadanos está o tema da unidade de Espanha: o Ciudadanos de Albert Rivera não aceita qualquer referendo ou consulta para a independência da Catalunha, enquanto Pablo Iglesias fez bandeira de campanha com a possibilidade de a Catalunha "decidir sobre a sua autodeterminação".

A conversa de hoje aconteceu depois de na semana passada o PSOE e o Podemos terem acertado uma reunião em pessoa, que acabou por não acontecer "devido à impossibilidade de acertar as agendas" dos dois líderes.

Espanha está com um governo em funções desde 20 de dezembro, na sequência das eleições gerais. Os 350 deputados no parlamento têm até 02 de maio para eleger um novo presidente do Governo, caso contrário realizam-se novas eleições gerais.

O Podemos ofereceu ao PSOE um acordo para a formação de um governo de coligação (juntamente com a Izquierda Unida), no qual Pedro Sánchez seria presidente e Pablo Iglesias vice-presidente. No entanto, também exigiu ocupar cinco ministérios - Negócios Estrangeiros, Administração Interna, Justiça, Economia e Defesa - considerando que apenas teve menos 300 mil votos do que os socialistas e que "não confia no PSOE".

Lusa

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Reservas de viagens na Páscoa e no verão aumentaram
    1:19

    Economia

    As reservas de viagens no período da Páscoa e do verão aumentaram este ano, tanto para o estrangeiro como para dentro de Portugal. O Algarve, a Madeira e os Açores continuam a ser os destinos de eleição. Os portugueses estão também a marcar férias com mais antecedência, uma das receitas para conseguir melhores preços.

  • Escada rolante inverte sentido e varre dezenas de pessoas
    1:15
  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.