sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Rajoy diz que terceiro ato eleitoral seria um "ridículo mundial"

O líder do PP, Mariano Rajoy, considera que a realização de um terceiro ato eleitoral em Espanha se os partidos não alcançarem um acordo após dia 26 seria um "ridículo mundial", sublinhando que tudo fará para que tal não aconteça.

© Albert Gea / Reuters

Numa intervenção hoje em Lleida, província onde o Partido Popular (PP) espera recuperar o deputado que perdeu em dezembro, Rajoy voltou a apelar ao voto útil, dirigindo-se sobretudo aos eleitores que votaram no partido Ciudadanos para afirmar que o seu voto não serviu "para nada" em 25 províncias e apelar a que a votação se concentre no PP.

Em seguida, em declarações aos jornalistas reproduzidas pela agência EFE, o chefe de Governo em funções assegurou que manterá a mesma posição de dezembro passado, quando propôs uma grande aliança ao PSOE.

Para Rajoy, se o líder socialista, Pedro Sánchez, tivesse aceitado a sua proposta, não se viveria a atual situação, em que o PSOE está prestes a converter-se na terceira força política em Espanha, sendo ultrapassado pelo Podemos.

Embora sublinhando a difícil situação dos socialistas, Rajoy considerou que o PSOE já não pode baixar mais nas sondagens pois é um partido com muitos anos de história e destacou o facto de a maioria das sondagens dar ao PP mais de 30% dos votos.

Admitindo que, ainda assim, PP e Ciudadanos não deverão, em conjunto, somar os votos necessários para formar um executivo maioritário, Mariano Rajoy voltou a insistir que manterá a sua proposta de uma grande aliança, opção que prefere à alternativa de um governo minoritário.

Aos jornalistas, Rajoy voltou a sublinhar que poderia formar-se um governo de coligação para quatro anos, transmitindo uma mensagem séria, enquanto um executivo minoritário que não consiga legislar seria uma fonte de desconfiança.

Sem querer especular sobre o que farão os seus adversários após as eleições, afirmou que se não quiserem aceitar uma coligação, pelo menos que o deixem governar -- em minoria -- por ser ele o mais votado.

Considerando que o atual sistema eleitoral em Espanha "prima pela concentração do voto e castiga a sua divisão", Rajoy insistiu na necessidade de concentração dos votos moderados no PP: "É o inteligente, o eficaz e o que nos vai permitir governar", afirmou.

"A divisão [dos votos] é o pior que pode acontecer à Espanha moderada", insistiu, sustentando que "a Espanha moderada, que não quer governos à grega e à venezuelana", ganhará aos "radicais e extremistas" no dia 26 de junho.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.