sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Mais de trinta milhões de eleitores vão hoje às urnas em Espanha

Mais de 36,5 milhões de espanhóis vão hoje às urnas para escolher os 350 deputados e 208 senadores que irão tentar desbloquear o atual imbróglio político em que o país vive há seis meses.

© Andrea Comas / Reuters

Desde as eleições de 20 de dezembro, os partidos políticos foram incapazes de chegar a acordo para assumir as responsabilidades governativas.

As últimas sondagens, publicadas no passado fim de semana, davam conta de que o PP (Partido Popular, de direita), do chefe de governo de gestão, Mariano Rajoy, deverá continuar a ser o mais votado, chegando aos 30% dos votos, quando nas últimas eleições, em dezembro, alcançou 28,7%.

A grande surpresa poderá ser o Unidos Podemos (uma aliança de radicais de esquerda, comunistas, ecologistas e partidos regionais) que as sondagens indicam poder chegar aos 26% dos votos e ultrapassar o PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol), que nos últimos 35 anos alternou à frente do governo espanhol com o PP.

O PSOE poderá ser o fiel da balança, com as sondagens a darem cerca de 21% dos votos, quando em dezembro obteve 22%, e a ter de tomar a difícil decisão de se coligar à esquerda ou à direita, o que lhe poderá tirar ainda mais votos para o futuro.

As assembleias de voto abrem às 09:00 (08:00 em Lisboa) e encerram às 20:00 (19:00), com os resultados pratcamente definitivos a ser conhecidos cerca das 22:30 (21:30), segundo fonte responsáveis pelo escrutínio.

As mesmas fontes dão conta de que 92.870 agentes das forças de segurança irão assegurar a boa ordem nas 22.953 assembleias de voto espalhadas pelas 52 subscrições para o Congresso dos Deputados e 59 para o Senado.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.