sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Partido Ciudadanos apela para entendimento entre PP e PSOE

O presidente do partido de centro-direita Ciudadanos, Albert Rivera, convidou hoje o Partido Popular (PP) e o Partido Socialista (PSOE) a sentarem-se à mesa, a partir de segunda-feira, para negociar a criação do próximo Governo em Espanha.

© Javier Barbancho / Reuters

Albert Rivera disse que mantinha a condição de que nenhum desejo de ocupar algum cargo no Governo seja colocado à frente dos interesses do país.

Na sua primeira aparição pública após o encerramento das urnas das eleições de hoje, Rivera disse ainda que se sente "mais orgulhoso do que ontem", assegurando que o centro "veio para ficar".

Acrescentou que o voto no seu partido será "útil" para regenerar Espanha e enfrentar a mudança "para melhor", como defendeu durante a campanha eleitoral.

O partido Ciudadanos conseguiu 32 assentos no parlamento, atrás do PP, que elegeu 137 deputados, do PSOE (85) e da coligação de esquerda Unidos Podemos (71).

Lusa

  • PP volta a ganhar eleições em Espanha sem maioria

    Mundo

    O Partido Popular (PP, direita) é o grande vencedor das eleições legislativas espanholas, apesar de não obter a maioria absoluta, sendo o único partido a ganhar percentagem de votos e lugares no parlamento, em relação às eleições anteriores, de dezembro.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.