sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Rajoy inicia hoje contactos para formação de Governo

O chefe do executivo espanhol, Mariano Rajoy, começa hoje os contactos com outros líderes políticos para tentar chegar a acordo para formar um novo governo.

reuters

O presidente de governo de gestão viu o seu partido, Partido Popular (PP, direita) reforçado, em percentagem de votos e número de lugares no Congresso de Deputados, nas eleições legislativas realizadas no domingo.

Rajoy anunciou na quarta-feira que, nesta primeira fase das negociações, espera testar se há uma "boa disposição" nos outros partidos, e a partir daí nomeará uma comissão negociadora para iniciar as conversações.

O presidente do executivo espanhol assume que, com 137 deputados num total de 350, não pode aplicar a "cem por cento" as suas propostas.

"O mais razoável", afirmou Rajoy, é que o processo de negociação se faça com "a maior celeridade possível" e "todos" os envolvidos, onde se inclui também, devem ser "rápidos, diligentes e construtivos".

O PP foi o mais votado nas eleições de domingo, com 137 deputados, mais 14 que nas legislativas de dezembro de 2015, mas longe dos 176 mandatos que dão a maioria absoluta no congresso espanhol.

O Partido Socialista (PSOE), liderado por Pedro Sanchez, ficou em segundo lugar, com 85 lugares (90 em dezembro), enquanto a aliança de esquerda Unidos Podemos, que as sondagens colocavam em segundo lugar, ficou em terceiro e elegeu 71 deputados, com o partido de centro-direita Ciudadanos a conseguir 32 assentos.

Apenas uma coligação do PP com o PSOE conseguirá reunir os lugares suficientes para que Espanha possa ter um governo de maioria, na sequência das eleições de domingo.

Rajoy já indicou que preferia liderar uma grande coligação com o PSOE e começará por falar com Pedro Sánchez, mas ao contrário do que aconteceu em dezembro, as suas opções são agora mais amplas.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28