sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Número dois de Rajoy confiante num acordo de investidura com o Ciudadanos

A vice-presidente do Governo espanhol mostrou-se esta sexta-feira confiante de que o seu partido, o PP (direita), e o Ciudadanos (emergente, centro-direita) vão fechar nas próximas horas um acordo para a investidura de Mariano Rajoy como presidente.

Paralelamente, Soraya Sáenz de Santamaría - que falava na conferência de imprensa posterior ao Conselho de Ministros - apelou ao sentido de responsabilidade do PSOE para que permita a formação de um governo em Espanha.

Um acordo PP-Ciudadanos - ao qual se juntariam os deputados da Coligação Canárias -, somaria 170 deputados, menos seis do que os necessários para que o atual presidente do governo e do PP, Mariano Rajoy, passe numa sessão de investidura no Congresso dos Deputados.

Ou seja, é necessária, pelo menos, a abstenção de vários dos deputados do PSOE. Os socialistas, liderados por Pedro Sánchez, têm reiterado que não vão permitir que a direita (PP) se mantenha no poder.

"Peço ao PSOE, ao senhor Sánchez, ao seu partido, que sejam muito conscientes do que as circunstâncias exigem e do momento que vivemos", afirmou Saénz de Santamaría, acrescentando que "Espanha precisa de um Governo" e que os partidos devem evitar uma nova ida dos espanhóis às urnas.

Espanha realizou eleições legislativas a 20 de dezembro, mas os resultados ditaram um impasse: o PP ganhou sem maioria absoluta e o PSOE obteve o seu pior resultado de sempre; nenhum dos partidos emergentes (Podemos e Ciudadanos) seria suficiente, por si só, para formar governo com PP ou PSOE.

Ou seja, salvo um acordo PP-PSOE, seria sempre necessário um acordo a três ou mais partidos, o que se revelou impossível. A 26 de junho, Espanha repetiu as eleições gerais, mas os resultados - com algumas alterações - mantiveram o mesmo impasse.

No entanto, se após as eleições de dezembro o Ciudadanos fez um acordo de governo com o PSOE (ao qual o Podemos recusou juntar-se), agora o partido de Albert Rivera está prestes a fechar um acordo com o PP de Rajoy.

Caso os partidos continuem sem chegar a acordos para formar Governo, Espanha poderá celebrar novas eleições em finais de dezembro.

Lusa

  • " A melhoria das contas públicas não foi feita à custa dos portugueses"
    1:30

    País

    Numa espécie de balaço deste ano e meio de governação, o primeiro-ministro voltou a assinalar voltou a assinalar a redução do défice e as melhorias nas contas públicas. Num jantar com militantes em Coimbra, António Costa garantiu ainda que a "verdadeira reforça do Estado avança até ao final desta legislatura, que é a Descentralização.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • Norte também quer naturismo e praias de nudistas

    País

    O presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal defendeu hoje a criação de praias naturistas legalizadas na região, fazendo a apologia da formação de associações e negando que este seja um destino conservador.