sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Formação de um Governo é "mais um desejo do que uma realidade"

O chefe do executivo espanhol em funções e líder do Partido Popular (PP, de direita), Mariano Rajoy, afirmou este sábado que a formação de um novo governo em Espanha é atualmente "mais um desejo do que uma realidade".

Rajoy falava na sessão de abertura de um curso político na região galega de Pontevedra, a poucos dias do debate de investidura no Congresso de Deputados (câmara baixa do Parlamento espanhol), agendado para a próxima terça-feira (dia 30 de agosto).

O líder popular anunciou a 18 de agosto que iria tentar obter a confiança dos deputados para ser reconduzido na liderança do governo espanhol, mas esse objetivo poderá não ser alcançado devido ao bloqueio do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE).

"A formação de um governo em Espanha continua hoje a ser mais um desejo do que uma realidade", declarou Mariano Rajoy.

Após oito meses de recuos e de negociações falhadas, ninguém consegue garantir que o país vai conseguir sair do impasse político ou evitar a realização de um terceiro escrutínio em menos de um ano.

Espanha está num impasse político desde as eleições de 20 de dezembro de 2015, repetidas a 26 de junho deste ano, mas sem que um partido saísse, de novo, com a maioria dos votos.

O Partido Popular (PP) venceu a segunda votação, elegendo 137 deputados (num total de 350), o que não chega para poder formar governo sozinho. O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) ficou em segundo lugar, com 85 deputados, a aliança de esquerda Unidos-Podemos em terceiro, com 71, e o Ciudadanos (centro-direita) em quarto, com 32.

O Ciudadanos apresentou condições para apoiar um governo liderado pelo PP, mas as negociações entre as duas forças partidárias ainda prosseguem.

Mesmo se obtiver o apoio do Ciudadanos e da Coalición Canaria, partido regional com o qual os conservadores também mantém contactos, o PP conseguirá apenas 170 votos, precisando ainda de pelo menos 11 abstenções para formar governo.

Na mesma intervenção, Rajoy afirmou hoje que "seria ridículo" realizar umas terceiras eleições gerais em Espanha, mas com o "comportamento de alguns" tem "dúvidas razoáveis" de que isso poderá acontecer novamente.

Numa alusão explícita ao secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez, o líder do PP referiu que a democracia significa muitas coisas, mas que existe uma que é a sua essência.

"Deve governar quem é escolhido pelas pessoas para governar", frisou.

Como tal, Mariano Rajoy apelou aos socialistas para agirem com responsabilidade.

Ainda no discurso em Cotobade, na região de Pontevedra, o presidente do PP referiu que o país tem recebido muitos avisos "dentro e fora de Espanha" para que seja formado um governo, porque a atual situação "não pode ser prolongada no tempo".

Para Rajoy, será "muito negativo para Espanha" a realização de novas eleições e a continuação de um executivo interino.

"Nunca desde o final da Segunda Guerra Mundial foram repetidas as eleições em qualquer país da Europa porque não foi possível chegar a um entendimento e a um acordo político entre as forças políticas. Nunca", sublinhou o chefe do executivo espanhol em funções.

Lusa

  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Brasil já tirou o "pé do chão"
    1:59

    Mundo

    Já começaram os desfiles e festas de carnaval, no Rio de Janeiro.Esta sexta feira foi o início oficial das celebrações com centenas de milhar de pessoas nas ruas até de madrugada.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato. 

  • Atores de Hollywood contra Trump
    1:44

    Mundo

    Centenas de pessoas juntaram-se em mais um protesto contra o presidente dos Estados Unidos. A manifestação, em Beverly Hills, juntou várias estrelas de Hollywood.