sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Formação de um Governo é "mais um desejo do que uma realidade"

O chefe do executivo espanhol em funções e líder do Partido Popular (PP, de direita), Mariano Rajoy, afirmou este sábado que a formação de um novo governo em Espanha é atualmente "mais um desejo do que uma realidade".

Rajoy falava na sessão de abertura de um curso político na região galega de Pontevedra, a poucos dias do debate de investidura no Congresso de Deputados (câmara baixa do Parlamento espanhol), agendado para a próxima terça-feira (dia 30 de agosto).

O líder popular anunciou a 18 de agosto que iria tentar obter a confiança dos deputados para ser reconduzido na liderança do governo espanhol, mas esse objetivo poderá não ser alcançado devido ao bloqueio do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE).

"A formação de um governo em Espanha continua hoje a ser mais um desejo do que uma realidade", declarou Mariano Rajoy.

Após oito meses de recuos e de negociações falhadas, ninguém consegue garantir que o país vai conseguir sair do impasse político ou evitar a realização de um terceiro escrutínio em menos de um ano.

Espanha está num impasse político desde as eleições de 20 de dezembro de 2015, repetidas a 26 de junho deste ano, mas sem que um partido saísse, de novo, com a maioria dos votos.

O Partido Popular (PP) venceu a segunda votação, elegendo 137 deputados (num total de 350), o que não chega para poder formar governo sozinho. O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) ficou em segundo lugar, com 85 deputados, a aliança de esquerda Unidos-Podemos em terceiro, com 71, e o Ciudadanos (centro-direita) em quarto, com 32.

O Ciudadanos apresentou condições para apoiar um governo liderado pelo PP, mas as negociações entre as duas forças partidárias ainda prosseguem.

Mesmo se obtiver o apoio do Ciudadanos e da Coalición Canaria, partido regional com o qual os conservadores também mantém contactos, o PP conseguirá apenas 170 votos, precisando ainda de pelo menos 11 abstenções para formar governo.

Na mesma intervenção, Rajoy afirmou hoje que "seria ridículo" realizar umas terceiras eleições gerais em Espanha, mas com o "comportamento de alguns" tem "dúvidas razoáveis" de que isso poderá acontecer novamente.

Numa alusão explícita ao secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez, o líder do PP referiu que a democracia significa muitas coisas, mas que existe uma que é a sua essência.

"Deve governar quem é escolhido pelas pessoas para governar", frisou.

Como tal, Mariano Rajoy apelou aos socialistas para agirem com responsabilidade.

Ainda no discurso em Cotobade, na região de Pontevedra, o presidente do PP referiu que o país tem recebido muitos avisos "dentro e fora de Espanha" para que seja formado um governo, porque a atual situação "não pode ser prolongada no tempo".

Para Rajoy, será "muito negativo para Espanha" a realização de novas eleições e a continuação de um executivo interino.

"Nunca desde o final da Segunda Guerra Mundial foram repetidas as eleições em qualquer país da Europa porque não foi possível chegar a um entendimento e a um acordo político entre as forças políticas. Nunca", sublinhou o chefe do executivo espanhol em funções.

Lusa

  • Voluntários portugueses rumam ao México com cães de salvamento
    1:59

    Mundo

    Nuno Vieira e Marco Saraiva são voluntários de Braga. Com os seus dois cães, "Koi" e "Yuki", formam uma equipa de resgate e partem esta noite para o México, para ajudar na busca e salvamento de vítimas do terramoto que abalou o país esta terça-feira. A equipa portuguesa faz parte de uma ONG espanhola.

  • Furacão Maria deixa rasto de destruição em Porto Rico
    1:16
  • Sabe onde fica a Nambia? Algures em África, segundo Trump

    Mundo

    "O sistema de saúde na Nambia é incrivelmente autossuficiente", declarou o Presidente dos Estados Unidos num discurso proferido num almoço com líderes africanos. No encontro, realizado esta quarta-feira à margem da 72.ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova Iorque, Donald Trump repetiu o erro. Os utilizadores das redes sociais não perdoaram mais este "lapso" do chefe de Estado norte-americano.

  • DGS garante que não há perigo de dengue
    2:09
  • Episódio da Abelha Maia censurado por queixas de obscenidade

    Cultura

    A plataforma digital Netflix viu-se obrigada a retirar um episódio da Abelha Maia depois das queixas de pais norte-americanos por causa de um "desenho obsceno", em forma de pénis. Aparentemente, terá sido só removido para quem acede nos EUA dado que, ao que a SIC pôde constatar, a partir de Portugal o episódio 35 está disponível.

  • Yoko Ono obriga limonada "John Lemon" a mudar de nome

    Cultura

    A viúva do Beatle John Lennon ameaçou processar uma empresa de bebidas polaca por causa da limonada "John Lemon". Yoko Ono não terá gostado do trocadilho entre Lennon e Lemon (limão, em inglês) e quer ver toda e qualquer garrafa com este rótulo retirada do mercado.

  • Restaurante em prisão na Colômbia serve comida confecionada por detidas
    1:04