sicnot

Perfil

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

PSOE mantém voto contra investidura de Mariano Rajoy

O Partido Socialista Espanhol mantém o voto contra a investidura de Mariano Rajoy e aumentam as probabilidades de haver um novo ato eleitoral, o terceiro em apenas um ano.

No final de um encontro de apenas meia hora com Rajoy, Pedro Sanchez, o líder do PSOE, sublinhou que o acordo entre o PP e o Ciudadanos lhes dá ainda mais razões para rejeitar um governo chefiado pelo partido da direita.


A falta de reformas em pastas como o trabalho e a educação foram alguns exemplos dados pelo líder socialista para justificar a oposição ao programa negociado.


A direita precisa de 176 votos para obter a maioria absoluta e passar na primeira votação. Juntos, PP, Ciudadanos e Coaliación Canaria garantem apenas 170 dos 350 assentos parlamentares. Mariano Rajoy, o presidente em funções, garante que irá continuar a tentar chegar a um compromisso com o PSOE caso saia derrotado esta semana.


Se, no final de outubro não houver governo formado, a Assembleia é dissolvida e são convocadas novas eleições.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.