sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Mitt Romney ataca Donald Trump por se recusar divulgar declarações fiscais

O candidato republicano à Casa Branca em 2012, Mitt Romney, relançou na quarta-feira os ataques ao seu sucessor, Donald Trump, devido à persistente recusa deste em divulgar as suas declarações de rendimento.

© Mike Blake / Reuters

"Recusar divulgar as suas declarações de impostos aos eleitores é razão para desqualificar um candidato presidencial na época moderna, sobretudo para alguém sem passado público nem militar e cuja vida não foi examinada", escreveu Mitt Romney na rede social Facebook.

"Só existe uma única explicação lógica para a recusa de Trump publicar as suas declarações de impostos: elas contêm uma bomba. Perante o sangue-frio de Trump face às outras imperfeições da sua vida passada, apenas podemos supor que essa bomba é de uma dimensão não habitual", concluiu Mitt Romney.

Donald Trump recusou na terça-feira comprometer-se com a divulgação à imprensa e ao público das suas declarações de rendimento, uma tradição para os candidatos presidenciais que permite verificar as suas fontes de rendimento, eventuais conflitos de interesse, bem como o montante da sua solidariedade.

A recusa foi justificada pelos controlos fiscais de que é objeto há anos, e que continuam.

"Elas (as declarações de rendimento) não informariam ninguém", disse Trump à AP.

Mas, hoje Trump negou ter declarado que se recusava a divulgar a suas declarações. "Disse à AP que os meus impostos eram objeto de um controlo de rotina e que publicaria as minhas declarações de impostos quando o controlo terminar, e não depois das eleições!", escreveu na rede social Twitter.

No final de fevereiro, Mitt Romney já tinha atacado Trump pela mesma razão. "Podemos vir a descobrir que ele está longe de ter tantos rendimentos quanto se imagina, ou que não paga impostos, ou paga muito poucos", disse ainda Romney.

Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário ou ainda esta sexta-feira, em formato online.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.