sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Trump diz que vai aprovar oleoduto rejeitado por Obama

O aspirante a candidato republicano às eleições presidenciais norte-americanas, Donald Trump, disse que se for eleito Presidente irá apoiar o projeto de uma empresa canadiana do oleoduto Keystone XL, que Barack Obama bloqueou por razões ambientais.

© Jonathan Ernst / Reuters

Trump também reiterou a intenção de, se for eleito Presidente em novembro, inverter grande parte do plano de energia do Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e "cancelar" o acordo do clima assinado em dezembro em Paris.

Ao falar depois de ter conquistado o número de delegados suficiente nas eleições primárias para alcançar a nomeação para a corrida à Casa Branca, Trump disse aos jornalistas que o projeto do novo oleoduto para transportar crude para o Golfo do México "devia ser aprovado".

"Eu vou de certeza aprová-lo a 100%, mas eu quero um melhor acordo", acrescentou.

Trump afirmou que uma vez que o projeto implica a expropriação de terrenos privados pelo Governo norte-americano, os EUA deviam ter parte dos lucros.

"Quero uma parte dos lucros para os Estados Unidos. É assim que fazemos o nosso país rico outra vez", afirmou.

Barack Obama rejeitou no final do ano passado a construção do controverso oleoduto Keystone XL, entre o país e o Canadá, encerrando anos de um tenso debate político.

Obama justificou a rejeição explicando que o plano "não serve os interesses nacionais dos Estados Unidos" porque não iria ajudar o meio ambiente e também não iria contribuir significativamente para o crescimento da economia a médio prazo, além de não baixar de forma visível os preços da energia.

Em causa estão as areias betuminosas do Canadá, afirmando o Presidente que em vez de construir um oleoduto de 1.900 quilómetros (de Alberta ao Golfo do México), os Estados Unidos deveriam antes concentrar-se no desenvolvimento de tecnologias que produzam empregos e energia limpa.


Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.