sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Líder republicano critica comentários racistas de Donald Trump

O líder republicano Paul Ryan criticou esta terça-feira os comentários "racistas" do provável candidato do Partido Republicano nas eleições presidenciais nos Estados Unidos Donald Trump, que rejeitou a sentença de um juiz federal por este ser de origem mexicana.

© Joshua Roberts / Reuters

O republicano Paul Ryan é presidente da Câmara dos Representantes (câmara baixa do Congresso norte-americano) e uma das mais importantes figuras do Partido Republicano norte-americano. Depois de ter manifestado sérias reservas ao longo de vários meses, Ryan anunciou na semana passada o seu apoio à candidatura de Trump.

"Dizer que uma pessoa não pode fazer o seu trabalho por causa da sua etnia revela um caso clássico de um comentário racista. Penso que deve ser absolutamente repudiado", reagiu Paul Ryan, numa conferência de imprensa.

Apesar da crítica, Ryan vai continuar a apoiar Donald Trump.

"É mais provável que a nossa política seja aplicada com ele" do que por outro candidato, disse o líder republicano, numa referência à provável candidata democrata às presidenciais norte-americanas Hillary Clinton.

O multibilionário tem sido alvo de duras críticas, incluindo de apoiantes, depois de ter questionado a conduta do juiz federal Gonzalo Curiel, que está a supervisionar os processos por fraude contra a extinta Universidade Trump.

Numa entrevista na quinta-feira passada, Trump explicou que o juiz, nascido nos Estados Unidos mas filho de mexicanos, tinha um "conflito [de interesses] absoluto" porque era "de origem mexicana" e membro de uma associação de magistrados hispânicos.

Trump recusou voltar atrás com as declarações sobre o juiz federal, explicando que o magistrado não tinha sido imparcial por causa da sua controversa proposta de construir um muro na fronteira com o México para lutar contra a imigração ilegal.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC