sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Nova sondagem reduz diferença entre Clinton e Trump nas eleições presidenciais nos EUA

Uma nova sondagem nacional divulgada hoje reduz a diferença entre a presumível candidata democrata Hillary Clinton e o potencial candidato republicano Donald Trump na corrida presidencial nos Estados Unidos.

© Gary Cameron / Reuters

A sondagem da Universidade norte-americana Quinnipiac atribui 42% das intenções de voto a Hillary Clinton, enquanto o magnata do imobiliário reúne 40% das intenções de voto.

Os restantes 18% estão divididos pelos inquiridos que afirmam que querem votar em outro candidato (6%), por aqueles que afirmam que não vão votar (5%) ou por aqueles que estão indecisos (7%).

Esta nova sondagem representa um recuo para a campanha de Clinton. No último inquérito da Universidade Quinnipiac, publicado a 01 de junho, a ex-secretária de Estado tinha uma vantagem de quatro pontos percentuais sobre Trump.

Outra sondagem, divulgada no domingo pelo jornal The Washington Post e pelo canal de televisão ABC News, também deu na altura uma margem mais confortável à potencial candidata democrata: 51% dos eleitores inquiridos afirmaram que votariam em Hillary Clinton, contra os 39% que indicaram que optariam por Donald Trump.

A sondagem Quinnipiac, realizada junto de 1.610 eleitores registados, mostrou ainda que 61% dos inquiridos pensam que a eleição presidencial de 2016 "aumentou o nível de ódio e de preconceito nos Estados Unidos".

Para dois terços (cerca de 65%) a responsabilidade deste clima recai sobre a campanha de Trump, contra os 16% que apontam o dedo à campanha de Clinton.

"Os eleitores encontram-se arrastados para uma campanha mesquinha e uma política de terra queimada entre os dois candidatos e não gostam", afirmou Tim Malloy, diretor-adjunto das sondagens Quinnipiac, acrescentando que os inquiridos não acreditam que estes candidatos irão dar um bom Presidente.

Ainda assim, cerca de 58% dos entrevistados afirmaram que a antiga primeira-dama e ex-secretária de Estado está melhor preparada para as funções presidenciais. Trump só obtém 33% de opiniões favoráveis neste campo.

No entanto, os inquiridos consideram que o multibilionário será mais eficaz a criar emprego (52% contra 40% para a Clinton) e melhor na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico (52% contra 39% para a Clinton).

A margem de erro da sondagem Quinnipiac é de 2,4 pontos percentuais.

As eleições gerais presidenciais norte-americanas estão agendadas para 08 de novembro deste ano.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28