sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Nova sondagem reduz diferença entre Clinton e Trump nas eleições presidenciais nos EUA

Uma nova sondagem nacional divulgada hoje reduz a diferença entre a presumível candidata democrata Hillary Clinton e o potencial candidato republicano Donald Trump na corrida presidencial nos Estados Unidos.

© Gary Cameron / Reuters

A sondagem da Universidade norte-americana Quinnipiac atribui 42% das intenções de voto a Hillary Clinton, enquanto o magnata do imobiliário reúne 40% das intenções de voto.

Os restantes 18% estão divididos pelos inquiridos que afirmam que querem votar em outro candidato (6%), por aqueles que afirmam que não vão votar (5%) ou por aqueles que estão indecisos (7%).

Esta nova sondagem representa um recuo para a campanha de Clinton. No último inquérito da Universidade Quinnipiac, publicado a 01 de junho, a ex-secretária de Estado tinha uma vantagem de quatro pontos percentuais sobre Trump.

Outra sondagem, divulgada no domingo pelo jornal The Washington Post e pelo canal de televisão ABC News, também deu na altura uma margem mais confortável à potencial candidata democrata: 51% dos eleitores inquiridos afirmaram que votariam em Hillary Clinton, contra os 39% que indicaram que optariam por Donald Trump.

A sondagem Quinnipiac, realizada junto de 1.610 eleitores registados, mostrou ainda que 61% dos inquiridos pensam que a eleição presidencial de 2016 "aumentou o nível de ódio e de preconceito nos Estados Unidos".

Para dois terços (cerca de 65%) a responsabilidade deste clima recai sobre a campanha de Trump, contra os 16% que apontam o dedo à campanha de Clinton.

"Os eleitores encontram-se arrastados para uma campanha mesquinha e uma política de terra queimada entre os dois candidatos e não gostam", afirmou Tim Malloy, diretor-adjunto das sondagens Quinnipiac, acrescentando que os inquiridos não acreditam que estes candidatos irão dar um bom Presidente.

Ainda assim, cerca de 58% dos entrevistados afirmaram que a antiga primeira-dama e ex-secretária de Estado está melhor preparada para as funções presidenciais. Trump só obtém 33% de opiniões favoráveis neste campo.

No entanto, os inquiridos consideram que o multibilionário será mais eficaz a criar emprego (52% contra 40% para a Clinton) e melhor na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico (52% contra 39% para a Clinton).

A margem de erro da sondagem Quinnipiac é de 2,4 pontos percentuais.

As eleições gerais presidenciais norte-americanas estão agendadas para 08 de novembro deste ano.

Lusa

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.