sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Procuradora-geral dos EUA diz que não interferirá em caso de e-mail de Clinton

A procuradora-geral dos Estados Unidos disse hoje que seguirá as decisões do FBI e do ministério público sobre um eventual processo judicial contra a pré-candidata presidencial Hillary Clinton por usar o e-mail pessoal enquanto era secretária de Estado.

© Rick Wilking / Reuters

"As recomendações serão analisadas por supervisores e pelo diretor do FBI (polícia federal), e eles transmitir-mas-ão, e eu tenho a certeza de que aceitarei essas recomendações", disse Loretta Lynch numa conferência em Aspen, Colorado.

O anúncio feito por Lynch surgiu depois de o seu encontro imprevisto com o ex-presidente Bill Clinton no aeroporto de Phoenix, no Arizona, esta semana, ter desencadeado uma tempestade política, com os republicanos a argumentar que o encontro comprometeu a integridade da investigação.

Lynch declarou ser "importante deixar claro que aquele encontro com o Presidente Clinton não é relevante para a forma como o caso será avaliado, resolvido e aceite" por si.

Mas rapidamente reconheceu que o encontro deu azo a más interpretações, que o pré-candidato presidencial republicano Donald Trump logo classificou como prova de um sistema "totalmente manipulado" em Washington.

"Entendo como as pessoas o interpretaram", disse a procuradora-geral.

"É claro que não o faria novamente, porque penso que lançou uma sombra" sobre a investigação, acrescentou.

Loretta Lynch quis também esclarecer que como nomeada política não vai interferir no processo legal relacionado com a investigação Clinton, e que a integridade do departamento de Justiça será mantida.

Hillary Clinton, a pré-candidata presidencial democrata, que poderá tornar-se a primeira mulher Presidente dos Estados Unidos, admitiu o erro e pediu desculpa por ter usado exclusivamente uma conta privada de e-mail e um servidor instalado em sua casa durante o seu mandato como secretária de Estado, entre 2009 e 2013.

Mas o escândalo persegue sua campanha há mais de um ano e tem contribuído para as preocupações dos eleitores de que ela não é digna de confiança.

Lusa

  • Apoiar o Governo "é um dever constitucional"
    0:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que apoiar o Governo é um dever constitucional do Presidente da República. Num balanço do primeiro ano em Belém, Marcelo respondeu assim a quem o acusa de andar com o Governo "ao colo".

  • Brexit só avança com aprovação parlamentar
    3:04

    Brexit

    O Supremo Tribunal britânico decidiu que o Governo precisa de ter a aprovação do Parlamento para avançar com o Brexit. A decisão foi validada por uma maioria de oito contra três juízes e justificada esta terça-feira pelo Supremo britânico. Por consequência, a libra esterlina atingiu a cotação mais alta do ano em relação ao dólar.

  • Primeira-ministra da Escócia apela ao voto contra a saída da UE
    2:25

    Brexit

    Depois da decisão do Supremo Tribunal britânico em relação ao Brexit, a primeira-ministra da Escócia veio pedir aos deputados que votem contra a saída da União Europeia. Nicola Sturgeon vai apresentar uma moção no Parlamento escocês para que este se pronuncie sobre o Brexit.

  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.

  • As propostas Chanel para a próxima estação
    1:34

    Mundo

    Um dos desfiles mais aguardados do mundo da moda aconteceu esta segunda-feira, em Paris, com as propostas da casa Chanel para a próxima estação primavera/verão. No final do desfile, e pela primeira vez em 30 anos, Karl Lagarfeld não deu nenhuma entrevista à comunicação social.