sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

"Eu sou o candidato da lei e ordem"

"Eu sou o candidato da lei e ordem"

A consagração de Donald Trump marca a última noite da convenção do Partido Republicano dos EUA. O candidato à Casa Branca prometeu restabelecer a segurança no país e insiste no muro na fronteira com o México. Criticou Hillary Clinton e declarou apoio à comunidade LGBT.

O empresário norte-americano Donald Trump aceitou oficialmente ser candidato à Presidência dos Estados Unidos, num discurso na sessão de encerramento da convenção do Partido Republicano, em Cleveland, no estado do Ohio.

"Eu, humildemente, aceito a vossa nomeação para a presidência dos Estados Unidos", disse hoje Donald Trump perante uma ovação de pé e gritos: "EUA, EUA, EUA". "Juntos vamos levar o nosso partido de volta para a Casa Branca", acrescentou.

"Tenho uma mensagem para todos vós: o crime e a violência que hoje aflige a nossa nação vai em breve ter um fim. A partir de 20 de janeiro de 2017 a segurança vai ser restaurada", disse. "Nesta campanha para a Casa Branca, eu sou o candidato da lei e ordem".

"A irresponsável retórica do nosso Presidente [Barack Obama], que usou o púlpito da presidência para nos dividir por raça e cor, tornou a América mais perigosa para todos nós", acrescentou, depois de ter invocado a morte de vários polícias nas últimas semanas nos Estados Unidos.

Trump disse aos delegados na convenção republicana que a sua política externa, se chegar à Casa Branca, colocará os norte-americanos em primeiro lugar.

Trump reitera intenção de construir muro na fronteira com o México

O magnata reiterou a intenção de construir um muro na fronteira com o México. "Vamos construir um grande muro para pôr fim à imigração ilegal, para pôr fim aos gangues e à violência, para impedir a entrada da droga", afirmou.

Durante a campanha antes das primárias republicanas, Trump prometeu que se for eleito, construirá um muro na fronteira mexicana, pago pelo México, para impedir a imigração ilegal. Também manifestou a intenção de expulsar dos Estados Unidos os 11 milhões de imigrantes ilegais que trabalham e vivem no país.

Legado de Hillary Clinton é "morte, destruição e debilidade"

"O legado de Hillary Clinton não tem de ser o dos Estados Unidos. Os problemas que enfrentamos agora - pobreza, violência em casa, morte e destruição no estrangeiro - vão continuar sempre se mantivermos as mesmas políticas que os criaram", disse Trump, no encerramento da Convenção Nacional do Partido Republicano.

Trump criticou a campanha de Clinton por ser um "fantoche" dos "grandes negócios, da elite mediática e dos grandes doadores" e ser representativa de um "sistema envenenado".

"A mensagem de Hillary Clinton é de que as coisas nunca vão mudar. A minha mensagem é a de que as coisas vão mudar e têm de mudar agora", sublinhou o magnata.

No seu discurso, Trump criticou as propostas e legado de Clinton na política externa, imigração, comércio, educação ou proteção do direito de porte de armas.

Com Lusa

  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Lançamento de balões no São João do Porto em risco

    País

    Lançar balões nas festas do São João do Porto pode não ser possível este ano, tudo irá depender das condições atmosféricas. A Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural admitiu, esta quarta-feira, que está a acompanhar a situação mas que ainda nada está decidido.