sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

"Eu sou o candidato da lei e ordem"

"Eu sou o candidato da lei e ordem"

A consagração de Donald Trump marca a última noite da convenção do Partido Republicano dos EUA. O candidato à Casa Branca prometeu restabelecer a segurança no país e insiste no muro na fronteira com o México. Criticou Hillary Clinton e declarou apoio à comunidade LGBT.

O empresário norte-americano Donald Trump aceitou oficialmente ser candidato à Presidência dos Estados Unidos, num discurso na sessão de encerramento da convenção do Partido Republicano, em Cleveland, no estado do Ohio.

"Eu, humildemente, aceito a vossa nomeação para a presidência dos Estados Unidos", disse hoje Donald Trump perante uma ovação de pé e gritos: "EUA, EUA, EUA". "Juntos vamos levar o nosso partido de volta para a Casa Branca", acrescentou.

"Tenho uma mensagem para todos vós: o crime e a violência que hoje aflige a nossa nação vai em breve ter um fim. A partir de 20 de janeiro de 2017 a segurança vai ser restaurada", disse. "Nesta campanha para a Casa Branca, eu sou o candidato da lei e ordem".

"A irresponsável retórica do nosso Presidente [Barack Obama], que usou o púlpito da presidência para nos dividir por raça e cor, tornou a América mais perigosa para todos nós", acrescentou, depois de ter invocado a morte de vários polícias nas últimas semanas nos Estados Unidos.

Trump disse aos delegados na convenção republicana que a sua política externa, se chegar à Casa Branca, colocará os norte-americanos em primeiro lugar.

Trump reitera intenção de construir muro na fronteira com o México

O magnata reiterou a intenção de construir um muro na fronteira com o México. "Vamos construir um grande muro para pôr fim à imigração ilegal, para pôr fim aos gangues e à violência, para impedir a entrada da droga", afirmou.

Durante a campanha antes das primárias republicanas, Trump prometeu que se for eleito, construirá um muro na fronteira mexicana, pago pelo México, para impedir a imigração ilegal. Também manifestou a intenção de expulsar dos Estados Unidos os 11 milhões de imigrantes ilegais que trabalham e vivem no país.

Legado de Hillary Clinton é "morte, destruição e debilidade"

"O legado de Hillary Clinton não tem de ser o dos Estados Unidos. Os problemas que enfrentamos agora - pobreza, violência em casa, morte e destruição no estrangeiro - vão continuar sempre se mantivermos as mesmas políticas que os criaram", disse Trump, no encerramento da Convenção Nacional do Partido Republicano.

Trump criticou a campanha de Clinton por ser um "fantoche" dos "grandes negócios, da elite mediática e dos grandes doadores" e ser representativa de um "sistema envenenado".

"A mensagem de Hillary Clinton é de que as coisas nunca vão mudar. A minha mensagem é a de que as coisas vão mudar e têm de mudar agora", sublinhou o magnata.

No seu discurso, Trump criticou as propostas e legado de Clinton na política externa, imigração, comércio, educação ou proteção do direito de porte de armas.

Com Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.