sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

"É um dia histórico que demorou a chegar"

"É um dia histórico que demorou a chegar"

No segundo dia da convenção democrata americana Hillary Clinton tornou-se na primeira mulher a candidatar-se a presidente dos Estados Unidos da América. Luís Costa Ribas diz que este "é um dia histórico mas que demorou a chegar". O correspondente da SIC diz que esta eleição foi muito disputada e que deixou algum mau ambiente dentro do partido democrático.

  • Trump quase venceu o dia 1 da Convenção Democrata

    Opinião

    Michelle Obama: “Por causa de Hillary as minhas filhas acreditam que uma mulher pode ser Presidente”. Bernie Sanders: “Orgulho-me de estar ao seu lado. Com base nas suas ideias e liderança Hillary Clinton tem de ser a próxima Presidente dos EUA”.

  • Trump critica atitude de Hillary em relação aos veteranos de guerra
    0:32

    Mundo

    Donald Trump promete que se for eleito Presidente dos Estados Unidos os veteranos de guerra vão deixar de esperar vários dias para serem atendidos por um médico. Num discurso na Associação de Veteranos, o candidato republicano atacou Hillary Clinton, que tinha discursado no mesmo palco no dia anterior e acabou por receber o apoio de alguns veteranos presentes.

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.