sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Donald Trump reuniu-se no FBI com serviços secretos para encontro de preparação

O milionário Donald Trump participou esta quarta-feira numa reunião de informação confidencial com os representantes dos serviços secretos norte-americanos, um privilégio reservado aos dois candidatos às presidenciais dos Estados Unidos para se prepararem para as responsabilidades.

Donald Trump, o candidato republicano à Casa Branca, deslocou-se às instalações do FBI (polícia federal norte-americana) em Nova Iorque para participar no encontro, noticiou ABC, porque o edifício tem salas seguras.

Aquelas reuniões são organizadas pelo diretor dos serviços secretos dos Estados Unidos. A candidata democrata Hillary Clinton também vai reunir-se, mas separadamente.

As reuniões têm como objetivo preparar os candidatos para o mais alto cargo da Nação, em caso de vitória nas eleições de novembro, fornecendo-lhes informações sobre o estado das ameaças globais contra os Estados Unidos.

Mas, segundo a imprensa, nenhuma informação sobre operações secretas e de espionagem será transmitida a Donald Trump.

Os democratas têm manifestado preocupação com a possibilidade de Donald Trump ter acesso a informação sensível.

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, já se manifestou sobre aquela preocupação a 04 de agosto.

"Se se querem tornar Presidente, devem comportar-se como um Presidente", disse, acrescentando que aquilo significa que os candidatos devem assistir as sessões de informação e não revelar o seu conteúdo.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.