sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Clinton diz que está melhor e que regressa à campanha nos próximos dias

A candidata à Presidência dos EUA Hillary Clinton garantiu esta segunda-feira que está melhor, depois de se ter sentido mal na cerimónia evocativa dos atentados do 11 de Setembro, e que volta à campanha dentro de alguns dias.

"Estou muito melhor", disse Clinton à televisão norte-americana CNN, numa conversa por telefone.

A candidata do Partido Democrata à Casa Branca, que tem uma pneumonia, segundo os seus médicos, afirmou que sentiu uma tontura na cerimónia do 11 de Setembro, em Nova Iorque, que perdeu o equilíbrio por alguns momentos, mas que não chegou a desmaiar.

Segundo Clinton, depois de ter abandonado a cerimónia, assim que entrou numa viatura com ar condicionado e bebeu um pouco de água, sentiu-me melhor, garantindo que voltará à campanha presidencial nos próximos dias.

Hillary Clinton explicou que os médicos a tinham aconselhado a descansar durante alguns dias, mas que ignorou a recomendação, sublinhando que era senadora pelo estado de Nova Iorque em 2001, ano dos atentados de Nova Iorque, e que estar presente na cerimónia anual que lembra as vítimas é uma questão pessoal e importante para si.

Após a indisposição, Clinton cancelou uma viagem à Califórnia esta semana, no âmbito da campanha eleitoral.

O seu rival do Partido Republicano na corrida à Casa Branca, Donald Trump, desejou na segunda-feira as melhoras a Clinton e disse que vai revelar em breve os resultados de um exame médico que fez na semana passada.

"Espero que ela [Clinton] se recupere e que regresse à campanha", afirmou Trump à cadeia de televisão Fox, acrescentando que a saúde dos candidatos à Presidência norte-americana passou a ser um tema da campanha.

Na segunda-feira, um porta-voz de Clinton já havia dito que a candidata não tem outros problemas além de uma pneumonia e que deverá retomar a campanha a meio desta semana.

"Não há qualquer outra doença por revelar, é só pneumonia", disse o porta-voz Brian Fallon à estação MSNBC um dia depois de Hillary Clinton, de 68 anos, se ter sentido mal e de a sua campanha ter anunciado que lhe tinha sido diagnosticada uma pneumonia.

"Espero que a meio ou perto do final da semana, ela esteja de volta ao circuito da campanha", indicou, acrescentando que "se a decisão fosse dela, já estaria na rua hoje".

Fallon disse também que a campanha democrata vai divulgar novos dados clínicos para ajudar "a tranquilizar quaisquer preocupações que persistam" sobre o estado de saúde da candidata presidencial, ex-secretária de Estado e ex-primeira-dama norte-americana.

Lusa

  • Trump deseja rápidas melhoras a Hillary Clinton
    2:00

    Eleições EUA 2016

    Donald Trump já desejou rápidas melhoras a Hillary Clinton, a quem foi diagnosticada uma pneumonia. Devido à indisposição que a obrigou a abandonar a cerimónia do aniversário dos atentados do 11 de setembro, a candidata democrata cancelou dois dias de campanha na Califórnia.

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.