sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Clinton e Trump tornam públicos historiais clínicos

© Brian Snyder / Reuters

Hillary Clinton e Donald Trump tornaram públicos os seus historiais clínicos para dissipar qualquer dúvida sobre as suas capacidades para ocupar a Presidência dos Estados Unidos.

A campanha da ex-secretária de Estado divulgou uma carta, de duas páginas, onde a sua médica, Lisa Bardack, afirma que Hillary Clinton, de 68 anos, "está sã e em forma para ser Presidente dos Estados Unidos", enquanto Donald Trump, de 70 anos, entregou uma cópia do seu historial clínico ao apresentador do "The Dr. Oz Show" durante a gravação do programa, que vai ser transmitido hoje.

Com o relatório elaborado pela sua médica, Clinton pretende mitigar as especulações que surgiram depois da indisposição que sofreu, no domingo, numa cerimónia evocativa dos atentados de 11 de setembro de 2001, causada por uma pneumonia que a obrigou a cancelar atividades da campanha durante três dias.

Apesar da carta de Lisa Bardack, Donald Trump, que durante meses insistiu que Clinton tem problemas de saúde que a incapacitam de exercer a presidência dos Estados Unidos, voltou a mencionar na quarta-feira a tontura da rival.

"Não sei, amigos. Vocês acreditam que Hillary Clinton é capaz de estar aqui, de pé, durante uma hora e fazer isto? Eu não sei. Não acredito", ironizou o nova-iorquino, numa iniciativa no Ohio.

Segundo Sarah Huckabee, assessora da campanha do magnata, Trump goza de boa saúde, ainda que pudesse perder um pouco de peso.

No relatório de Clinton, a sua médica também sustenta que a candidata "está em excelentes condições mentais" e "a recuperar bem" da pneumonia, com antibióticos e descanso.

Segundo o seu historial clínico, desde o início do ano, Clinton apenas sofreu uma infeção no ouvido e a atual pneumonia e tem valores sanguíneos que se têm mostrado estáveis, tal como os seus problemas de tiroide.

A candidata democrata também sofreu diversos episódios alérgicos desde o início do ano que, segundo a sua médica, fazem parte de um "padrão" recorrente ao longo da sua vida.

Clinton estará hoje em Greensboro (Carolina do Norte), num comício que marca o seu regresso à campanha.

Com Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.