sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Obama diz que ainda há desconfiança "injusta" em relação às mulheres poderosas

© Reuters

O Presidente Barack Obama disse no domingo que na sociedade norte-americana ainda existe uma desconfiança "injusta" em relação a mulheres poderosas e que esse é o motivo pelo qual o país ainda não teve uma mulher na Sala Oval.

"Há uma razão pela qual não tivemos ainda uma mulher Presidente. Como sociedade, ainda lutamos com a forma como olhamos para mulheres poderosas. E isso ainda nos preocupa em muitos sentidos, de maneira injusta", disse Obama durante um jantar de angariação de fundos para o Partido Democrata em Nova Iorque.

O jantar em Manhattan aconteceu no apartamento de Danny Meyer, dono de mais de uma dezena de restaurantes, e da sua mulher, Audrey, atriz, contando com 65 convidados.

Apesar da realidade que descreveu, Obama mostrou-se confiante em que os norte-americanos vão tomar "a decisão correta" em novembro, elegendo Hillary Clinton como Presidente.

"Não devia ser uma eleição renhida, mas será", alertou Obama, que considerou que isso se explica por a sociedade norte-americana estar "muito polarizada".

Obama sublinhou de novo que nunca houve, na história dos Estados Unidos da América, outro candidato mais bem preparado do que Clinton.

Já Donald Trump, que disputará as eleições com Clinton, "não está preparado para ser Presidente" e não tem interesse sequer em aprender "os conhecimentos rudimentares requeridos para tomar decisões muito difíceis no dia-a-dia", afirmou.

O Presidente dos EUA chegou no domingo a Nova Iorque para participar na sua última Assembleia Geral da ONU e liderar, juntamente com outros líderes, uma cimeira sobre refugiados.

Durante a sua estadia em Nova Iorque, Obama vai reunir-se com o Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e com os primeiros-ministros de Israel, Benjamin Netanyahu, e China, Li Keqiang.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28