sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Filho de Trump compara refugiados a Skittles envenenados

O filho de Donald Trump está a causar uma onda de indignação depois de ter comparado refugiados sírios a Skittles (doces com sabor a fruta) envenenados. A Wringley, empresa que produz e comercializa os Skittles, já veio demarcar-se da declaração de Donald Trump Jr, considerando-a "desapropriada".

"Os Skittles são doces. Os refugiados são pessoas. Nós achamos esta analogia desapropriada", refere um comunicado da empresa.

O filho mais velho do candidato republicano à Casa Branca Donald Trump comparou na rede social Twitter os refugiados sírios a uma tigela com Skittles de várias cores, alguns dos quais estragados.

"Esta imagem diz tudo", escreveu na segunda-feira Donald Trump Jr, 38 anos, num tweet mostrando uma fotografia de uma tigela com as drageias coloridas.

Sob a imagem lê-se a frase: "Se tivesse uma tigela de drageias e eu lhe dissesse que apenas três delas o poderiam matar, tirava uma mão cheia? Este é o nosso problema com os refugiados sírios".

A mensagem com o logótipo e o slogan da campanha presidencial foi objeto do escárnio dos utilizadores da rede social.

"Nem sou grande apreciadora de Skittles (uma marca daquelas drageias), mas agora vou comprar todos os pacotes", escreveu @SarahSahim.

Donald Trump Jr, 38 anos, filho mais velho do candidato republicano à Casa Branca Donald Trump.

Donald Trump Jr, 38 anos, filho mais velho do candidato republicano à Casa Branca Donald Trump.

© Brian Snyder / Reuters

Donald Trump tem sido muito criticado devido aos seus comentários sobre raça, imigrantes e refugiados, incluindo a defesa da proibição de entrada de muçulmanos nos Estados Unidos.

O candidato republicano opõe-se fortemente ao plano do Presidente norte-americano, Barack Obama, de receber no país até ao final deste mês 10.000 refugiados sírios.

Mais de 4,8 milhões de sírios deixaram o seu país devido à guerra que já matou mais de 300.000 pessoas desde março de 2011.

Com Lusa

  • "É difícil ouvir estas declarações de alguém que quer ser Presidente dos EUA"

    Mundo

    Angelina Jolie manifestou-se publicamente, esta segunda-feira, contra as declarações de Donald Trump que defendeu a proibição da entrada de muçulmanos nos Estados Unidos. A atriz, que discursava em Londres na qualidade de Alta Representante da ONU para os Refugiados, disse: "Para mim a América foi construída por pessoas de todo o Mundo, unidas pela liberdade, especialmente pela liberdade religiosa. É difícil ouvir estas declarações de alguém que quer ser Presidente dos EUA".

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida